21.4 C
Vitória
quinta-feira, 26 novembro, 2020

SÉRGIO CARLOS DE SOUZA

Meio de recuperação de empresas

Leia Também

Crise para quem não pesquisa

Pesquisar seus mercados, traçar cenários realistas e tomar decisões embasadas em dados é a melhor solução

Mensagem de WhatsApp tem valor como documento?

Tais técnicas representam a maior arma do Estado com o fito de combater o crime, em especial, o organizado

Palmares nega Zumbi!

No mês da Consciência Negra, atribuído às comemorações do dia da morte de Zumbi dos Palmares, em 20 de novembro 1695

O trabalho jurídico de recuperação de empresas não é a solução, por si só, mas pode ser uma consistente coluna na vitória sobre uma grande crise

Estamos vivendo um momento único, jamais imaginado. Epidemias e pandemias já tivemos várias, mas nada que chegue perto do que a Covid-19 está provocando. Além da gravidade do surto em si, há a disseminação incontrolável de informações que estão colocando o planeta em alerta e pânico. O Brasil passa, claro, pelo mesmo processo que gera, de certa forma, um sentimento de impotência na população.

Fora as perdas humanas, a maior vítima da pandemia é a economia. Grande parte do setor produtivo está parado, ou perto disso. Empresários pequenos, médios e grandes sentam tentando pensar em alternativas para ficarem ilesos à crise econômica e social que já tomou conta do país. Fora um ou outro setor, nenhuma empresa passará intocada diante do caos. Alguns negócios infelizmente sucumbirão.

Uma das alternativas para ganhar fôlego financeiro até o temporal passar é a renegociação de dívidas e compromissos. Fazer uma espécie de “plano alternativo de sobrevivência”. Se o caixa zerou e o ingresso de novas receitas é incerto, pode-se buscar meios previstos em nossa legislação visando à recuperação da empresa. O negócio é viável operacional e comercialmente, mas está sufocado pelas contas vencidas e a vencer, as despesas fixas elevadas, o caixa reduzido e o ingresso de faturamento sem expectativa: existem meios, dentro da nossa legislação, para recuperar a empresa, o negócio.

Esses meios de recuperação de empresas serão escolhidos depois de uma análise preliminar da situação financeira, econômica, fiscal e jurídica. Feita a análise preliminar, passa-se à etapa de execução, que pode envolver renegociações, mediação, ação de revisão de valores ou recuperação extrajudicial ou extrajudicial.

O trabalho jurídico de recuperação de empresas não é a solução, por si só, mas pode ser uma consistente coluna na vitória sobre uma grande crise. Repito: se o seu negócio tem viabilidade, mas esta ficou comprometida pelos problemas que nos assolam, recomenda-se tentar o meio de recuperação empresarial.

Sérgio Carlos de Souza é sócio fundador de Carlos De Souza Advogados. Especialista e advogado militante em Direito Empresarial, Ambiental, Penal e Família.

ES Brasil Digital

ESB 179 Digital
Continua após publicidade

Mais Direito ao direito

Madeira de Freitas: O Destino marcado pelo pseudônimo

É extensa a galeria dos médicos brasileiros que ganharam expressão nacional, e até internacional, como escritores. Desde Joaquim Manuel de Macedo,...

Bernardino de Souza Monteiro

A história de Bernadino começou na segunda metade do século XVII, com a vinda para o Estado, atraídos pelas perspectivas abertas pela lavoura do...

Avenida Américo Buaiz

A marca de Américo Buaiz faz evocar um capítulo da história da humanidade Homenageada pela população de Vitória, com os poderes políticos batizando com seu...

Blogs e colunas

Pandemia e seu impactos econômicos

Presidente do Corecon-ES, destacou que as medidas econômicas, condicionadas por um ambiente político controverso

Jaguar F-Type renova estilo e segue bravo

No interior, a princípio, o mesmo luxo de outrora. Nada de design extremamente arrojado, forte apelo futurista ou exageros

Hyundai Venue e novo Elantra estão no Brasil

O novo Elantra tem possibilidade de desembarcar por aqui, importado da Coreia do Sul. O sedã deixou de ser vendido no País em 2018