Brasil é o 4º maior produtor de lixo plástico no mundo

Aprenda a separação ajude no processo de reciclagem de lixo
No país, não chega a 2% a taxa de reciclagem de lixo. Precisamos mudar essa realidade (Fotografia - Agência Brasil)

Grande parte do plástico recolhido não é reciclado porque é misturado ao lixo comum

De acordo com um levantamento realizado pela WWF International, organização não-governamental que atua nas áreas de conservação, investigação e recuperação ambiental, o Brasil é o quarto maior produtor de lixo plástico no mundo. Estados Unidos, China e Índia ocupam as primeiras posições. No país, são produzidos anualmente 11,3 milhões de toneladas de detritos. Desse total, apenas 145 mil toneladas, ou seja, 1,28% são recicladas. A média global de reciclagem é de 9%.

Para a diretora do Instituto Movive, Marília Debbané, o que justifica esse baixo índice de reciclagem é o fato de os cidadãos não fazerem a coleta seletiva do lixo em suas residências. “Uma grande quantidade de rejeitos é misturada ao plástico e outros materiais para reciclagem, contaminando o resíduo reaproveitável. Muitas vezes o lixo vem cheio de vidros quebrados e, às vezes, até seringas com sangue ou remédio, podendo machucar o catador”, explica Marília.

O lixo coletado pela Prefeitura Municipal de Vila Velha vai para a Revive Associação Vila-Velhense de Coletores de Materiais Recicláveis, localizada em Novo México. Segundo o presidente da associação, Sadraque Nascimento, das 60 toneladas mensais deixadas no local, somente 20% é de material reciclável, como o plástico. O restante vira rejeito e aterro, porque não é possível aproveitar.

Atualmente, 18 catadores trabalham diariamente na Revive, das 8h às 17h, e recebem em média R$ 850,00 por mês com a venda do material reciclável para empresas parceiras. “Se as famílias fizessem a separação corretamente em casa, essa quantidade seria maior, o que beneficiaria ainda mais os catadores”, lamenta Sadraque.

Saiba como fazer a coleta seletiva na sua casa

1) Aprenda a diferença entre lixo seco e lixo úmido

O lixo seco é formado por papéis (jornais, papelão, papeis dobrados ou cortados, mas não amassados), garrafas pet (água mineral, refrigerantes e outras bebidas), latas de alumínio (cervejas, refrigerantes e alimentos em conserva), vidros (garrafas e embalagens de bebidas, alimentos em conserva), plástico (sacolas, copos, embalagens de material de limpeza, talheres de plástico, copos de iogurte e coalhada), embalagens Longa Vida feitas de papelão e recicláveis (caixas de leite, suco, bebidas, iogurte, creme de leite, leite condensado), e sucata e metais (canos, pregos, parafusos, panelas, peças de motores, carcaças de fogão ou geladeira, latas de tinta e de alimentos).

Já o lixo úmido é formado por materiais orgânicos (cascas de frutas e legumes, folhas e restos de comida) e não recicláveis (plásticos e papéis engordurados, embalagens de chips e salgadinhos, copos quebrados, bitucas de cigarro, fraldas, absorventes, cotonetes, papel higiênico, entre outros).

2) Separe cada um

O lixo seco deve ser separado em uma sacola azul ou em caixas de papelão para a reciclagem. Isso evita que os catadores tenham que abrir as sacolas ou caixas. É necessário limpar o material: retire os restos que ficam nas embalagens usando um fio d’água e deixe o recipiente de cabeça para baixo até que fique totalmente seco.

Feito isso, entre em contato com uma associação de catadores para que eles façam o recolhimento ou entregue num ponto de entrega voluntária – PEV, caso seu bairro não tenha coleta seletiva.

Já o lixo úmido deve ser descartado em sacolas pretas e entregue para a coleta normal da sua cidade.

Então, vamos mudar nossos hábitos e ajudar na reciclagem do lixo?


LEIA TAMBÉM
Conteúdo Publicitário