Vitória: coleta seletiva cresce gerando trabalho e renda

Associados fazem a parte final da organização do material para entrega às indústrias de reciclagem (Fotografia - Elizabeth Nader/PMV)

Material recolhido é enviado para associações de trabalhadores da área de resíduos sólidos

A quantidade de resíduos passíveis de reciclagem coletada em Vitória aumentou nos últimos anos. Em 2013, eram coletadas em torno de 180 toneladas de resíduos por mês. Em 2018, a média foi de 245 toneladas para o mesmo período, o que representa um aumento de 36,12%.

Existem hoje no município 924 pontos de coleta seletiva, entre condomínios, hospitais, igrejas, escolas e associações. Só de ecopostos, que ficam em lugares públicos, como vias públicas, parques e praças, são 73 pontos por toda a capital.

“Todos os moradores de Vitória podem depositar seu lixo seco em um ecoposto ou posto de entrega voluntária na cidade, assim colaboram com todos os benefícios da coleta seletiva”, pontuou o secretário da Central de Serviços, Nathan Medeiros.

Benefícios

A coleta seletiva traz benefícios ambientais, além de gerar emprego e renda. Todo o lixo reciclável recolhido pela Central de Serviços é doado às duas associações conveniadas: a Associação dos Catadores de Materiais Recicláveis de Vitória (Ascamare) e a Associação dos Catadores de Materiais Recicláveis da Ilha de Vitória (Amariv).

Nelas os resíduos são separados, prensados e depois vendidos às indústrias de reciclagem. Dessa forma, garante-se oportunidade de trabalho a cerca de 60 catadores.

“Fechamos parceria com uma nova associação de catadores para aumentar nossa capacidade de destinação dos resíduos passíveis de reciclagem: a Associação de Catadores de Materiais Recicláveis do Município de Vitória (Amarv), que já está recebendo material da Prefeitura de Vitória”, contou o secretário.

A coleta seletiva é baseada na separação dos resíduos passíveis de reciclagem na fonte geradora. Apenas o lixo seco pode ser encaminhado para reciclagem. Por isso, é importante que os moradores façam a separação do lixo em casa.

Lixo seco (materiais recicláveis)

Papéis: branco, jornal, papelão, embalagens de papel e papelão, guardanapos sem resíduos de alimento e líquidos, embalagens de suco longa vida sem resíduos líquidos.
Plásticos: garrafas, potes, copos sem resíduos de alimento e líquidos, pratos e talheres descartáveis sem resíduos de alimento.
Metais: latas sem resíduos de líquidos e embalagens de marmita sem resíduos de alimento.
Vidros: garrafas, copos e cacos de vidro sem resíduos de alimento e líquidos.

O lixo seco pode ser reaproveitado, mas, para isso, precisa ser depositado nos Postos de Entrega Voluntária, que estão distribuídos em diversos pontos da cidade. Veja aqui.

Lixo úmido (resíduos de alimentos e dos sanitários)

Papel higiênico, resíduos de alimentos, embalagem de marmitex com resíduos de alimentos, papel toalha, absorventes, fraldas, guardanapos sujos ou muito úmidos, palitos de churrasco ou picolé e pratos, copos e talheres descartáveis com resíduos de alimentos.

Papa-Móveis

A Central de Serviços também oferece o serviço Papa-Móveis, que recolhe móveis e eletrodomésticos após agendamento no Fala Vitória 156. O serviço, além de diminuir móveis que são destinados nas ruas, também possui um objetivo muito importante: doar os móveis coletados a quem precisa.

Os munícipes podem acompanhar os dados de coleta seletiva em Vitória por meio do Portal do Observatório de Indicadores da Cidade de Vitória (ObservaVix).


LEIA TAMBÉM
Conteúdo Publicitário