Alívio: greve dos rodoviários chega ao fim

Na segunda-feira, dia 12 de agosto, a greve dos rodoviários foi mantida após assembleia, porque a categoria não havia aceitado as 10 propostas encaminhadas pelo Governo do Estado
Assembleia realizada pelo categoria para decidir o rumo da greve (Fotografia - Renato Cabrini)

Categoria aceita as novas propostas do Governo do Estado e a greve dos rodoviários chega ao fim

Em assembleia realizada no fim da tarde desta terça-feira (13) , na praça Oito, os rodoviários decidiram pelo fim da greve. O Governo do Estado apresentou novas propostas, o que agradou a categoria em parte.

Conheça:

1 – Os cobradores atuarão durante 60 dias como auxiliares de bilhetagem, tirando dúvidas e atendendo idosos, deficientes físicos, gestantes e crianças.

2 – Serão fornecidos no mínimo três cursos de requalificação voltados ao aprimoramento dos cobradores, dentro de atividades do próprio sistema. Para o cobrador que desejar ser motorista, o curso será fornecido até que atinja o nível profissional. Para o ex-cobrador que desejar, serão fornecidas outras funções como mecânico, eletricista e auxiliar administrativo.

3 – Criação de um grupo de trabalho de acompanhamento e gestão deste programa com representantes da Secretaria de Mobilidade e Infraestrutura da Companhia Estadual de Transporte de Passageiro (CETURB-ES), do Sindirodoviário e do GVbus.

4 – Reconhecimento da garantia provisória no emprego por vinte meses a contar da data que o cobrador se afastar nas seguintes proporções e quantidades assim escalonadas: 200 cobradores em 2019, 300 em 2020, 300 em 2021 e 300 em 2022. O sindicato patronal assume o compromisso de, durante o curso de qualificação profissional, não utilizar o trabalhador na função de cobrador, ou seja, compromete-se a colocá-lo para exercer outras funções dentro do sistema.

5 – As empresas terão prazo de 60 dias para apresentar um plano de demissão voluntária para os cobradores que não desejarem continuar atuando no sistema.

Menos problemas

No segundo dia de greve dos rodoviários, os pontos de ônibus e terminais do Sistema Transcol ficaram lotados e o tempo de espera pelos coletivos aumentou consideravelmente. No entanto, não chegou a ser como esta segunda-feira (12), primeiro dia da manifestação, em que os coletivos não circularam na Grande Vitória.

O dia conseguiu ser relativamente menos problemático, porque o Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários no Estado do Espírito Santo (Sindirodoviários-ES), acatou a decisão da Justiça de circular com 75% da frota.


LEIA TAMBÉM
Conteúdo Publicitário