22.9 C
Vitória
segunda-feira, 16 maio, 2022

Nova diretoria toma posse no sindicato das indústrias de café no Estado

Foto: Divulgação

O empresário Egídio Malanquini, da indústria Vista Linda e Glória, assume a presidência do Sincafé pelo período que vai até 2024

A nova diretoria do Sindicato da Indústria de Torrefação e Moagem do Estado do Espírito Santo (Sincafé) tomou posse nesta terça-feira (09). O novo presidente da instituição é o empresário Egídio Malanquini. A composição da nova diretoria para o triênio que segue até 2024 tem como vice-presidente Cleverson Hercilio Pancieri.

Malanquini é empresário e emprendedor do ramo do café. Foi responsável pela criação da indústria Vista Linda, detentora das marcas Vista Linda e Glória. O histórico de atuação associativista é extenso e inclui entidades como o Sincafé, o Sebrae, a Federação das Indústrias do Espirito Santo (Findes), a Associação Brasileira da Indústria do Café (Abic), o Bandes e o Serviço Social da Indústria (Sesi).

“É uma experiência inovadora estar à frente do Sincafé e contribuir em prol do fortalecimento do setor. Posso dizer que nosso maior projeto serão os desafios. E um deles é a evolução da qualidade do café. Quem promove essa qualidade é o produtor, e quero fazer um agradecimento especial a todos os produtores que buscam o melhor resultado deste produto”, destacou Malanquine.

O vice-presidente da Findes, Paulo Baraona, destacou a força e a importância do setor para o Estado capixaba. “O Espírito Santo é o segundo maior produtor brasileiro de café, com expressiva produção de arábica e conilon. Considerando somente o conilon, é o maior produtor do Brasil: produz mais de 60% do volume total do país. A cafeicultura tem sido um dos pilares para o desenvolvimento do Estado”.

Indústria do café em destaque

Nas últimas semanas, novos investimentos foram anunciados para o Espírito Santo, o que fortalecerá e integrará a cadeia produtiva do café, gerando oportunidades.

A empresa Olam Internacional anunciou a construção de uma fábrica de café solúvel no distrito de Bebedouro, em Linhares. A multinacional com sede em Singapura vai fazer um investimento de US$ 130 milhões (quase R$ 740 milhões) para realizar o empreendimento. O início das operações está previsto para o segundo semestre de 2023.

Já a Companhia Cacique de Café Solúvel está investindo US$ 60 milhões de dólares (mais de R$ 320 milhões) em um empreendimento que deve ficar pronto no primeiro trimestre deste ano. Quando estiver em operação, a planta, também localizada em Linhares, terá capacidade de produzir 14 mil toneladas de café solúvel ao ano.

Com informações da Findes.

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Continua após publicidade

Fique por dentro

Vida Capixaba

Continua após publicidade