23 C
Vitória
segunda-feira, 1 março, 2021

GERALDO
SCHULLER

O amor e as aflições

Leia Também

O que esperar do mercado imobiliário em 2021

Com a taxa de juros em seu patamar mais baixo da história, as pessoas continuam buscando ativos reais, a exemplo dos imóveis, porque é...

Crime e não mera crítica: legalidade da prisão em flagrante de Daniel Silveira

O deputado já é alvo de investigação em dois inquéritos policiais que apuram respectivamente a prática de atos antidemocráticos Por Eneida Taquary A prisão em flagrante...

A destruição da poupança

A caderneta virou aquele cofre em forma de porquinho, ou seja, é um mero lugar para se guardar dinheiro, para não se ter o incômodo e os temores de deixá-lo em casa.

“Amar não é aceitar tudo, é ser capaz de dizer ‘não’ ao que tem que ser recusado.”
M.S. Cortela

Nessa hora, costumo lembrar um alerta valioso feito pelo Corpo de Bombeiros: nenhum incêndio começa grande, e sim com uma faísca, uma fagulha, um disparo. Isso se aplica ao campo da ética. O apodrecimento dos valores éticos positivos se inicia também com pequenos delitos, infrações, aceitações, conivências.

A expressão “o amor aceita tudo” é absolutamente antiética e antipedagógica. A pessoa que seja capaz de amar é aquela que recusa aquilo que faz mal, por isso um pai e uma mãe não pode jamais dizer ao filho: “É porque te amo, então tudo aceito”. É exatamente o inverso: porque te amo é que eu não quero que você use drogas ilegais; é porque te amo que eu quero que você seja decente; é porque te amo que eu não quero que você banalize a sua sexualidade livre e bonita; é porque te amo que eu quero que você tenha esforço na sua produção; e é porque você me ama que eu quero que você, meu filho, minha filha, me advirta, também me apoie, também me corrija naquilo que eu estiver equivocado.

Essa relação de cuidado mútuo só nos faz crescer. Por isso esse exemplo do cotidiano tem que aparecer como sendo a recusa com qualquer situação. A ética do amor não é a ética da conveniência, em que as coisas valem a partir de qualquer momento, mas uma ética que é capaz, também de dizer “não” ao que tem que ser recusado.

Neste mundo vocês terão aflições!

Jesus Cristo.

Às vezes temos a sensação de que algumas pessoas não enfrentam aflições. Mas sei que não é verdade. Não há quem viva e não as enfrente. Certamente que há pessoas que sofrem aflições mais severas, atravessam terrenos mais perigosos e tenham dores muito maiores que outros. Talvez uma das aflições é que as aflições não sejam distribuídas de forma que consideraríamos justa. Alguns passam por tantos problemas que têm a sensação de que tudo, no caso deles, sempre dá errado. Já outros são vistas como felizardos, pois tudo parece dar certo. Assim é a vida. Não é como pensamos que deveria ser, mas apenas é como é.

Mas há algo que devemos considerar: como enfrentamos as nossas aflições?

Na busca por enfrentá-las e superá-las, precisamos assumir nossas responsabilidades sobre elas, sempre que for o caso. Há dores que nos vêm sem que tenhamos contribuído ou dado causa. Mas há outras que só nos chegam porque fazemos escolhas erradas, porque agimos de maneira irresponsável. Precisamos também manter a calma e o equilíbrio ao enfrentar aflições. O que não significava ser lento! Às vezes a aflição que chega exige rapidez de ação, pressa. O que devemos evitar é o desespero, pois ele nos impede de lidar adequadamente com as angústias. Há pessoas que, pelo modo como reagem, tornam-se um problema pior do que aquele que enfrentam.

Não podemos escolher uma vida sem aflições, mas podemos aprender a enfrentá-las da maneira certa. Podemos amadurecer com as lutas da vida. Podemos aprender a reagir melhor, a suportar as dores e a crer, reconhecendo a presença e a bondade de Deus mesmo no meio de nossos problemas.

Não deixe as aflições vencerem você. Com responsabilidade, equilíbrio, atitude corajosa e confiança em Deus.

ES Brasil Digital

Capa ES Brasil 182
Continua após publicidade

Mais Modus Vivendi

Algo que as escolas não ensinam

Aqui estão alguns conselhos que Bill Gates proferiu durante conferência em uma escola secundária sobre regras que os estudantes não aprenderiam na escola. ...

Uma breve análise do tempo

Desde que iniciamos nossa vida, seguimos o curso do tempo. Nós o medimos e o marcamos, mas não podemos desafiá-lo. Não podemos acelerá-lo. Nem...

O momento é de muita cautela

Em uma palestra para um grupo de empreendedores apoiados pelo instituto de empreendedorismo Endeavor, Jorge Paulo Lemann listou seis lições inspiradoras para quem precisa...

Blogs e colunas

Quanto custa manter um carro?

Muitos afirmam que os gastos com o carro se assemelham aos que se tem com um filho

Acessórios automotivos: conheça os tipos e as preferências de cada motorista

Personalização, customização, individualização. Os nomes são muitos, mas uma coisa é certa: nos últimos tempos, a moda é transmitir a personalidade de cada um através de cada item do dia-a-dia.

Inteligência artificial: vantagens nos veículos de luxo

Com a tecnologia necessária para a condução autônoma, as montadoras têm feito parcerias com empresas da indústria eletrônica para colocar em prática as novidades do mercado automotivo.