24.9 C
Vitória
terça-feira, 25 junho, 2024

MP quer derrubar perfis que propagam golpes em doações ao RS

Ação cautelar pede que duas empresas de mídia social impeçam ou removam perfis fakes que pedem dinheiro para atingidos por enchentes no Estado gaúcho

O governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite (PSDB), fez um alerta para golpes do Pix em doações ao Estado, que enfrenta seu pior desastre climático. Por meio das redes sociais, ele lamentou que, em meio aos atos de solidariedade às vítimas, criminosos estejam se aproveitando da situação para aplicar golpes.

“Pessoal, atenção. No meio de tanta solidariedade, tem aproveitadores que usam da sensibilidade das pessoas para aplicar golpes. Isso é lamentável”, afirmou ele.

- Continua após a publicidade -

Os temporais no Rio Grande do Sul deixaram 83 mortos e 111 desaparecidos. De acordo com a Defesa Civil do Estado, dos 497 municípios do Estado, 345 cidades e ao menos 850 mil pessoas foram afetadas pelas tempestades.

O órgão soma 141,2 mil pessoas fora de casa, sendo 121,9 mil desalojadas, que recebem abrigo nas casas de familiares ou amigos, e 19,3 mil em abrigos públicos.

“Na doação do Pix que a gente apresentou, de um canal seguro, é importante as pessoas saberem, naquela chave, quando for fazer a doação do Pix, ela é para o SOS Rio Grande do Sul e a instituição do destinatário é o Banrisul, o Banco do Estado do Rio Grande do Sul. Se não aparecer isso na hora da doação, é porque é golpe”, disse Leite.

“Existem outras campanhas que a gente respeita. Mas se quer fazer a doação para o PIX SOS Rio Grande do Sul, que eu apresentei, vai aparecer este nome”, acrescentou o governador.

“Esse dinheiro não vai para a conta do governo. Tem muita fake news, muita gente que se aproveita deste momento para gerar confusão. Esse recurso que vai ser arrecadado será administrado por um comitê gestor que vai ter a participação da comunidade civil”, disse Leite, ao relatar que o governo já arrecadou R$ 38 milhões pelo Pix.

Promotoria ajuíza ação cautelar

O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado do Ministério Público do Rio Grande do Sul, por meio da promotora de Justiça Maristela Schneider, ajuizou no domingo, 5, ação cautelar para que duas empresas de mídia social impeçam ou removam perfis fakes que pedem dinheiro para atingidos por enchentes no Estado gaúcho.

A promotoria não informou quais são as plataformas de mídias sociais acionadas.

Segundo o órgão, nos últimos dias, várias contas falsas foram identificadas pela instituição cometendo este crime. “Também consta na ação aplicação de multa diária de R$ 100 mil em caso de descumprimento após notificação”, afirmou o MP-SR.

Conforme Maristela, são perfis fakes que usam a mesma identidade visual das páginas e perfis do governo gaúcho, mas com números de PIX direcionados a contas particulares. Com informações de Agência Estado

Entre para nosso grupo do WhatsApp

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

Matérias relacionadas

Continua após a publicidade

EDIÇÃO DIGITAL

Edição 221

RÁDIO ES BRASIL

Continua após publicidade

Vida Capixaba

- Continua após a publicidade -

Política e ECONOMIA