24.9 C
Vitória
quarta-feira, 10 agosto, 2022

Idalberto Moro fala sobre a nova gestão da Fecomércio

Idalberto Moro assume a nova gestão da Fecomércio-ES e promete mudanças. Foto: Divulgação

A construção de uma nova sede para integração da Fecomércio, Sesc e Senac está entre as ações da nova diretoria

Por Amanda Amaral

O setor que representa em torno de 70% do Produto Interno Bruto (PIB) possui novos representantes. Nesta quarta-feira (29), às 19h, em Vitória, 28 diretores e três executivos assumem oficialmente o Sistema do Comércio do Espírito Santo, o que inclui a Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado do Espírito Santo (Fecomércio-ES) e o Serviço Social do Comércio (Sesc-ES) e Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac-ES).

Para conhecer as novas propostas, a ES Brasil realizou uma entrevista exclusiva com o novo presidente da Fecomércio-ES,  Idalberto Luiz Moro, que falou sobre mudanças no estatuto, ampliação de ações voltadas para o serviço e o turismo e a implementação da área de inovação no Sistema.

Idalberto Moro adiantou ainda que uma nova sede de quatro mil metros quadrados será construída, ao lado da atual em Santa Lúcia, Vitória, visando maior integração entre as três entidades: Fecomércio-ES, Sesc e Senac.

Cabe ressaltar que a nova administração conta ainda com três executivos: Richardson Schmittel para a diretoria regional do Senac-ES; Bruno Pessanha Negris para a diretoria regional do Sesc-ES; e Dorval Uliana, que ocupará o cargo de superintendente do Sistema Fecomércio.

Na agenda da nova diretoria está a maior integração entre a Fecomércio, Sesc e Senac. Como isso irá acontecer?

Hoje as entidades andam cada uma com uma linha. O nosso objetivo é unificar a gestão das três unidades em uma mesma linha para ganhar qualidade e sinergia. Isso é o que propomos. Para isso, vamos viabilizar a construção de uma nova sede, onde as três poderão estar juntas.

Como será esta transição?

É uma ideia nova que estamos trazendo e temos agora o desafio de viabiliza-la para que nos próximos anos tenhamos a sede pronta. Temos um terreno de aproximadamente quatro mil metro quadrados, a lado da Federação, e a nova sede será construída lá.

Você já comentou sobre o fato dos setores de Serviços e Turismo não receberem do Sistema a atenção que deveriam. Quais são os planos para estes dois setores?

A nova diretoria toma posse oficialmente, nesta quarta-feira (29). Foto: Divulgação

A Federação sempre teve um olhar voltado para o comércio e os segmentos de serviços e turismo também não se organizaram. Nosso objetivo é ajudar a formar novas lideranças, novas entidades e novos sindicados para fortalecê-los. Nós pretendemos, principalmente com relação ao turismo, buscar parcerias com o Governo do Estado e administrações municipais visando dar apoio de modo a trazer políticas novas para o turismo. O Espírito Santo é muito bonito, tem uma ótima estrutura, mas é mal vendido. Precisamos vender melhor nosso Estado.

Por que é importante para o Sistema o fortalecimento dos sindicatos nesse momento?

Porque uma entidade é forte, quando todos estão fortes. Precisamos apoiar os sindicatos e aprimorá-los para andarem junto à Federação e trazerem as demandas dos micro, pequenos e médios empresários, além das demandas dos nossos funcionários, estes são os nossos dois públicos-alvo.

E por que não mais investir no mercado imobiliário?

A entidade tinha filosofia de comprar para alugar e até para venda, caso houvesse algum revés na contribuição obrigatória promovida pelo Sistema/ES. Mas entendemos que essa filosofia não é o propósito. Inclusive, em um terreno que já temos disponível, vamos construir a sede nova.

Qual será o papel do conselho fiscalizador?

É exatamente trazer melhor qualidade para o cumprimento das metas estabelecidas pelo conselho. Ele terá capacidade, não só de auxiliar, mas também de fiscalizar a diretoria, identificar se ela está executando aquilo que está planejado. Essa é a ideia da reforma do estatuto. São dois itens bem significativos. Um deles é o mandato único de quatro anos, sem renovação. O outro é a criação desse conselho.

Quais as ações ainda para 2022?

Os passos já foram dados, buscamos profissionais no mercado para estarem cada um em uma entidade, com objetivo de trazer uma visão empresarial para que a gente possa iniciar as transformações que nós queremos. O time já está em campo trabalhando. Queremos implementar a área de inovação também. A entidade precisa passar por uma transformação digital, atualizar suas práticas e seus sistemas, para ter condições de fazer uma melhor entrega para a sociedade.

 

Entre para nosso grupo do WhatsApp

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

Entre para nosso grupo do Telegram

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Continua após publicidade

Fique por dentro

Vida Capixaba

Continua após publicidade