23.3 C
Vitória
sábado, 25 maio, 2024

Estado terá sua primeira usina de biometano para uso industrial e residencial

Investimento de R$ 70 milhões para processar o gás que será injetado na rede da ES GÁS

Por Kikina Sessa

Em direção à sustentabilidade, o Espírito Santo se prepara para receber a primeira usina de biometano, transformando resíduos sólidos em energia limpa e renovável. A construção da usina será nas instalações da Marca Ambiental, empresa de gestão de resíduos, no município de Cariacica, e vai demandar investimento de R$ 70 milhões.

- Continua após a publicidade -

O biometano é um combustível renovável e sustentável produzido a partir da decomposição do lixo e pode ser injetado na rede de distribuição para consumo residencial ou industrial.
Com capacidade para processar 2.500 metros cúbicos por hora de biogás, proveniente da decomposição dos resíduos das células de aterro sanitário da Marca Ambiental, a usina vai transformar esse biogás em biometano, um gás natural renovável que pode ser utilizado em diversas aplicações, desde indústrias até residências, e até mesmo como combustível veicular.

“Esse investimento está em sintonia com aquilo que a gente deseja, que é ser um estado inovador, com capacidade de fazer a transição energética e que também representa o bom momento do Espírito Santo em ter um bom ambiente para os negócios. O biogás oriundo do aterro de resíduos sólidos vai gerar o biometano que poderá ser utilizado pela indústria e também no abastecimento de residências. Para isso, o nosso ambiente regulatório foi fundamental ao permitir que esse biometano possa ser injetado na rede de gás da ES GÁS”, destaca o governador Renato Casagrande.

O diretor de Energias Renováveis do Grupo Marca, Diogo Ribeiro, enfatiza que a iniciativa reforça o compromisso da empresa com a inovação e a sustentabilidade, contando com o apoio e a expertise da Air Liquide, líder mundial em gases industriais e medicinais. “Essa conversão não apenas reduzirá significativamente as emissões de gases de efeito estufa, mas também contribuirá para a promoção de um ambiente mais limpo e saudável para a comunidade capixaba”, pontuou.

A atuação da Marca Ambiental em energia renovável começou há quatro anos, com a implantação de uma usina de geração de eletricidade a partir do biometano, em parceria com o Grupo GVS. A instalação já opera em capacidade máxima, consumindo 3 mil m3 de gás por hora. Porém, ainda existe um excedente de 2 mil m³ por hora.

O gás produzido pela decomposição do lixo no aterro sanitário possui 50% de metano, que é utilizado como combustível. A outra metade e de gás carbônico. Logo, o rendimento inicial de biometano será de aproximadamente 1 mil m³ por hora, ou 24 mil a 25 mil m³ por dia.

“O evento de hoje marca um passo importante para o setor de distribuição de gás no Espírito Santo. A iniciativa organizada pelo Grupo Marca traz um novo potencial para a economia capixaba, pautada principalmente no desenvolvimento sustentável, e a ES Gás sente muito orgulho em fazer parte deste momento. Essa iniciativa reforça a jornada do Grupo Energisa e da ES Gás de transformação energética e de busca pela descarbonização da economia brasileira, já que o biometano promove o aproveitamento de substratos orgânicos e menor emissão de CO²”, afirmou o diretor-presidente da ES Gás, Fábio Bertollo.

A Marca Ambiental vai investir R$ 70 milhões no projeto da usina, enquanto a ES Gás vai investir em uma pequena ampliação de rede para fazer a coleta do biometano na usina. O Bandes atuou em parceria com a Marca para captar os recursos necessários para o investimento. A expectativa é de que a injeção do gás na rede inicie em julho do ano que vem.

Entre para nosso grupo do WhatsApp

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

Matérias relacionadas

Continua após a publicidade

EDIÇÃO DIGITAL

Edição 221

RÁDIO ES BRASIL

Continua após publicidade

Vida Capixaba

- Continua após a publicidade -

Política e ECONOMIA