24.9 C
Vitória
domingo, 14 abril, 2024

21 de março: Dia Mundial da Síndrome de Down

A data visa conscientizar a população, trazer visibilidade e respeito para os portadores da síndrome

Por Rafael Goulart

Não é atoa que o dia 21 de março, o terceiro mês do ano, foi escolhido como o Dia Mundial da Síndrome de Down. A data quando expressa só por números (23/03) é uma referência a Trissomia, que é o fenômeno genético que leva ao desenvolvimento da Síndrome de Down.

- Continua após a publicidade -

A condição ocorre quando há a presença de três cromossomos 21 nas células do indivíduo. Comumente, os humanos tem apenas dois cromossomos 21 e a presença do terceiro é considerada uma anomalia genética.

“Esse é um dia de reflexão sobre os avanços já alcançados e as barreiras que ainda precisamos derrubar. Jogar luz sobre um tema pouco visível contribui para que as pessoas com síndrome de Down sejam vistos como sujeitos de direito, afirma Vanderson Gaburo, presidente da Federação das Apaes do Estado do Espírito Santo.

Por não ser uma doença, a Síndrome de Down não tem cura, porém existe uma série de medidas e cuidados que podem levar o portador a uma vida social normal, incluindo rotina de trabalho e relacionamentos amorosos.

Um censo realizado em 2010 pelo Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos apontou que aproximadamente 300 mil pessoas com essa síndrome.

Síndrome de Down

Comprometimento cognitivo e alguns traços físicos como cabelo liso e fino, olhos com linha ascendente e dobras da pele nos cantos internos (semelhantes aos orientais), nariz pequeno, rosto redondo, orelhas pequenas, baixa estatura, pescoço curto e grosso são algumas características da síndrome de Down.

Além disso, alguns problemas de saúde são mais frequentes nessa população, como as cardiopatias congênitas, alterações da tireoide e doenças autoimunes.

Mesmo com todas as peculiaridades da trissomia, todo indivíduo com síndrome de Down possui direitos garantidos por lei, como serem incluídos em todos os setores da sociedade, como escolas, mercado de trabalho e entretenimento. Esta data é muito importante para lembrar todos disso e ajudar a acabar com o preconceito.

‌Recentemente, a Feapaes-ES criou o Núcleo de Acolhimento à Família de Pessoas com Deficiência Intelectual e/ou Múltipla e Autismo (NAF), um programa que promove um serviço gratuito de acolhimento e orientação para as famílias que acabaram de receber o diagnóstico ou estão na lista de espera de alguma instituição por um atendimento. São pessoas que, na maioria das vezes, estão sem nenhuma orientação ou informação sobre os caminhos a seguir.

O NAF é conduzido por uma Assistente Social que está à disposição do serviço, de segunda a sexta, de 8h30 às 12h30, através do e-mail [email protected] e/ou pelos telefones (27) 99839-0475 ou (27) 3223-7035.

Plantio de árvores

Alunos do Curso de Formação de Oficiais (CFO) da Academia Polícia Militar do Espírito Santo (APM/ES), realizam nesta terça-feira (21), o plantio de árvores e reflorestamento com o apoio de crianças com Síndrome de Down da APAE de Vitória.

A atividade pretende recuperar uma área degradada na APM através do plantio de árvores da espécie Ipê. Os alunos do CFO e da Apae farão a atividade em conjunto, promovendo a integração entre a Polícia Militar e as crianças com Síndrome de Down.

‌Com informações da Assessoria de Comunicação da Apae ES

Entre para nosso grupo do WhatsApp

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

Matérias relacionadas

Continua após a publicidade

EDIÇÃO DIGITAL

Edição 220

RÁDIO ES BRASIL

Continua após publicidade

Vida Capixaba

- Continua após a publicidade -

Política e ECONOMIA