Brasil bate recorde histórico da exportação de café

A análise considerou a soma das exportações de café verde, solúvel e torrado & moído (Fotografia - Shutterstock)

País encerrou o ciclo com crescimento de 35%

O Brasil exportou um total de 41,1 milhões de sacas de café no encerramento do ano-safra 2018/19, que compreende julho de 2018 a junho de 2019. O volume representa um recorde histórico de exportações brasileiras para o período e um aumento de 35% em comparação com o ano-safra 2017/18. Em número de sacas de café, foram exportadas 30,5 milhões. Os dados foram divulgados pelo Conselho dos Exportadores de Café do Brasil (Cecafé) nesta segunda-feira (8). A análise considerou a soma das exportações de café verde, solúvel e torrado & moído.

A receita cambial no ano-safra 2018/19 foi de US$ 5,3 bilhões (equivalente a R$ 20,8 bilhões), representando também um aumento de 9,8%, em relação ao mesmo período anterior. Já o preço médio foi de US$ 131,14, queda de 18,7%.

Entre as variedades embarcadas, o café arábica representou 81,7% das exportações, com a exportação de 33,6 milhões de sacas; o solúvel, 9,5% (3,9 milhões de sacas) e o robusta, 8,8% (3,6 milhões de sacas). Na comparação com o ano-safra 2017/18, o Brasil exportou 27,9% a mais de café arábica, 11,3% a mais de café solúvel e 429,1% a mais de café robusta.

“Os resultados refletem a excelência do agronegócio café do Brasil, a eficiência do comércio exportador, os investimentos em pesquisa e inovação, bem como o comprometimento rigoroso com a sustentabilidade, tanto em relação ao meio ambiente quanto à responsabilidade social junto aos produtores. Dessa forma, o Brasil atende às exigências do mercado externo, tanto no quesito qualidade quanto na sustentabilidade, e está pronto para responder a crescente demanda mundial, com a perspectiva de atingir 40% de market-share nos próximos anos. ”, declara Nelson Carvalhaes, presidente do Cecafé.

Principais destinos

No ano-safra 2018/19, os principais destinos do café brasileiro foram, na ordem, os Estados Unidos, com a exportação de 7,5 milhões de sacas (18,3% dos embarques totais no período); Alemanha, com a exportação de 6,6 milhões de sacas (16,1%); Itália, com 3,7 milhões de sacas (8,9%); Japão, com 3 milhões de sacas (7,4%); Bélgica, com 2,8 milhões de sacas (6,7%); Reino Unido, com 1,3 milhão de sacas (3,2%); Turquia, com 1,2 milhão de sacas (2,9%); Federação Russa, com 974 mil sacas (2,4%); Canadá, com 919 mil sacas (2,2%); e Espanha, com 843 mil sacas (2,1%).

Todos os dez principais destinos apresentaram, quando comparado ao ano-safra 2017/18, crescimento no consumo de café brasileiro. Entre eles, destaca-se o Reino Unido, que importou 57,1% a mais de café brasileiro; Japão, com crescimento de consumo de 48,5% e Turquia, com crescimento de 40,4%.

(Fotografia – Shutterstock)
Diferenciados

O Brasil exportou, no ano-safra 2018/19, 7,7 milhões de sacas de café ante 5,4 milhões de sacas exportadas no ano-safra 2017/18, apresentando um crescimento de 42%. Os dez principais destinos de cafés diferenciados no período, que representam 81,3% dos embarques do tipo de café, foram: Estados Unidos (1,7 milhão de sacas), Alemanha (1 milhão de sacas), Japão (939 mil sacas); Bélgica (741 mil sacas), Itália (727 mil sacas), Reino Unido (290 mil sacas), Canadá (285 mil sacas), Holanda (216 mil sacas), Suécia (202 mil sacas) e Espanha (153 mil sacas).

Portos

No ano-safra 2018/19, o porto de Santos foi o que concentrou a maior parte das exportações, com 78,9% do volume embarcado (equivalente a 32,4 milhões de sacas). Na sequência está o Rio de Janeiro, com 12,8% dos embarques (5,3 milhões de sacas) do período.


LEIA TAMBÉM
Conteúdo Publicitário