20.9 C
Vitória
segunda-feira, 29 novembro, 2021

Uma lenda chamada “Brazil”

Mais Artigos

Uma antevisão de um futuro provável

Por RONALD Z. CARVALHO

Brasil, Brazil ou Brassil… Assim aparece o nome deste mítico país no planeta Terra, do qual não existe hoje nenhum registro formal ou histórico, apenas referências folclóricas. Preferiremos a grafia Brazil por ser a mais comum entre os folcloristas.

Brazil seria uma terra ideal, localizada ao sul do Grande Deserto Amazônico, e que teria existido entre os séculos XVI e XXV do antigo calendário gregoriano, mais ou menos no primeiro trilênio da nossa era. As mesmas lendas, aliás, referem- se a uma possível floresta tropical, que teria existido onde hoje é o deserto, fato que os geógrafos vêem como pouco provável, uma vez que não existe nenhum sinal de sua existência. Por outro lado, uma destruição tão completa não poderia acontecer em tão pouco tempo, a não ser por uma fúria brutal ou um processo orientado de destruição que não parece obedecer a nenhum propósito lógico.

O fato, porém, de não existir nenhuma prova física de um país que seria tão grande e com uma população tão numerosa, parece enterrar qualquer hipótese de que ele poderia mesmo ter existido. De fato, um país com esta dimensão continental e um povo de milhões de pessoas, não poderia simplesmente desaparecer, sem deixar nenhum traço cultural importante, seja língua, arte, música, ou mesmo construções, ou vestígios delas. Em alguns computadores primitivos encontrados em escavações no hemisfério norte, às vezes aparecem algumas referências a este “Brazil”, mas sempre na forma de histórias fantásticas, que parecem mais ficção do que registros de fatos reais, em razão dos absurdos éticos.

Outro aspecto importante da lenda do “Brazil” é a já mencionada floresta que teria existido anteriormente ao grande espaço desértico ao sul do Equador, linha imaginária com que os antigos dividiam o mundo em duas partes, a pobre e a rica, outra metáfora divertida. Um maciço florestal destas proporções levaria pelo menos dois milênios para ser destruído sem deixar rastro, a ponto de secar caudalosos rios. Esta destruição, mesmo assim, chamaria atenção de todo o mundo e seria objeto de reações imprevisíveis, na medida em que poderia desequilibrar todo o clima do planeta, que deveria ser na época luxuriante e ameno, o que é impossível levando em conta que hoje a vida na Terra só é possível com as incríveis inversões de energia importada de que nos utilizamos. Se esta floresta tivesse existido, a terra seria um lugar agradável e aprazível, e os povos que nela estivesse deveriam ser povos felizes e prósperos. Toda esta lenda parece estar mais ligada, isto sim, a um desejo idealizado pelos sofridos habitantes deste planeta, que foram encontrados em esparsos grupos nômades na época de sua descoberta. A lenda da imensa floresta de clima tropical é tão absurda que realmente elimina a possibilidade dela possuir qualquer fundo histórico real.

Deixemos, por isso, as estórias do “Brazil” ao domínio da ficção, do folclore e das manifestações mais primitivas dos antigos habitantes deste pequeno planeta desértico, perdido no meio da galáxia.

RONALD Z. CARVALHO é professor de História Intergalática da Universidade de Alpha Centauro.

Continua após publicidade

Fique por dentro

Vida Capixaba