22.1 C
Vitória
quinta-feira, 13 agosto, 2020

Horário de pico muda em Vitória

Leia Também

Alpinismo industrial na Terceira Ponte

A Terceira Ponte será foco de mais uma ação de manutenção preventiva. O trabalho, que começou nesta semana, está sendo realizado para reparos na...

Banestes inaugura Agência Empresarial de Linhares

O novo espaço, inaugurado nessa quarta feira (12), conta com uma área moderna de atendimento, incluindo um lounge informal para conversas e fechamento de...

Campanha Compre do Pequeno tem foco na valorização do comércio local

Os impactos causados pela pandemia em pequenos negócios em todo o país mostram o quanto é importante incentivar ainda mais práticas que ofereçam impulso...

O fluxo de veículos reduziu consideravelmente. Segundo a Sentran, hoje a redução chega a 20%

O horário de pico do trânsito, antes temido por muitas pessoas, mudou. Em Vitória, por conta da pandemia do novo coronavírus, houve uma redução considerável no fluxo de veículos que passam pelas ruas e avenidas da capital.

De acordo com a secretária de Transportes, Trânsito e Infraestrutura Urbana de Vitória, Ana Elisa Nahas Amorim Pimentel, o fluxo de carros diminuiu cerca de 60%, em abril; até 15 de julho era 30% a menos e até a quinta-feira (30), a redução caiu para 20%.

“Percebemos duas mudanças importantes neste período: uma com relação à quantidade de veículos, essa é realmente visível. Começou com uma redução gradual, mas em abril e maio foi brutal. Em julho começamos a verificar novamente um aumento“, avaliou a secretária.

Em relação ao horário de pico, Ana Elisa explica que pela manhã era das 7h às 8h30, e à noite a partir das 18 horas. Agora, o horário de pico em Vitória vai das 8 às 9 horas e o da noite reduziu para 16h às 17 horas.

“Na nossa avaliação, isso ocorreu principalmente pelo horário escolar em que os pais não precisam levar os filhos para a escola, e também por conta do comércio que abriu em horário diferente. Justamente nos horários das 10 às 16 horas.”, destacou Ana Elisa.

Engarrafamentos

Segundo a secretária, as ruas com mais movimentos hoje são na altura da Vila Rubim, no Centro, e nas avenidas Dante Michelini, Reta da Penha, Fernando Ferrari. “Hoje, não estamos registrando engarrafamentos, pois o fluxo nas ruas está menor. De alguma forma, ele está mais diluído, pois não tem milhares de pessoas indo à escola no mesmo horário, por exemplo. Não estamos tendo casos de grandes engarrafamentos.”, informou ela.

Linha Verde

Ana Luiza informou, ainda, que a Linha Verde continua sendo utilizada normalmente por ônibus e veículos com três ou mais pessoas. “O fluxo dela continua alto também. As pessoas entenderam muito bem o sentido da Linha Verde. Ela provocou uma carona solidária, por exemplo, e ajudou na conscientização em andar com mais pessoas dentro do veículo, pois elas perceberam que o tempo de parada dos ônibus diminui. Automaticamente, o tempo de viagem também reduz.”, avaliou a secretária.

População evita o horário de pico

Por conta da pandemia, muitas pessoas tem evitado sair de casa. É o caso da administradora Gisela Bodart, que costuma sair apenas em horários em que o fluxo é menor. “Eu tenho ido apenas a estabelecimentos essenciais, mas acabo evitando os horários de pico. Assim, evito transtorno e protejo a mim e à minha família”, disse ela.

O publicitário Raphael Vasconcelos também não sai em horário de pico. Segundo ele, neste momento é melhor sair apenas se for necessário. “Antes mesmo da pandemia, eu evitava sair nestes horários complicados. Hoje, saio apenas quando preciso e mesmo assim passo menos tempo na rua possível”, frisou.

Já o servidor público Vinicius Wolkartt contou que neste período não está tendo dificuldade em trafegar em ruas e avenidas da capital. “Tem sido tranquilo sair neste horário, por mais que seja considerado horário de pico. As ruas têm menos carros, consequentemente, não tem engarrafamentos”, observou.

Continua após a publicidade

ES Brasil Digital

ESB 179 Digital
Continua após publicidade

Fique por dentro

Setores mais afetados pelo distanciamento social seguem deprimidos, diz BC

Ao avaliar o futuro da atividade econômica, o BC repetiu a ideia de que "a incerteza sobre o ritmo de crescimento da economia permanece acima da usual

Safra deste ano deve ser 3,8% superior à de 2019, prevê IBGE

A produção brasileira de cereais, leguminosas e oleaginosas deve fechar o ano de 2020 em 250,5 milhões de toneladas. Com informações da Agência BrasilCaso a...

211 vagas de emprego em Cariacica

Os munícipes têm a ajuda da Agência do Trabalhador, que esta semana está divulgando 211 vagas, sendo 55 são destinadas à Pessoa com Deficiência...

Estimativa para Selic no fim de 2020 permanece em 2,00% ao ano no Focus do BC

Os economistas do mercado financeiro mantiveram suas projeções para a Selic (a taxa básica da economia) no fim de 2020. O Relatório de Mercado...

Vida Capixaba

O Pequeno Príncipe traz poesia às telas em espetáculo ao vivo

Conhecido do público infantil e adulto, o conto ‘O Pequeno Príncipe’, do escritor francês Antoine de Saint-Exupéry, sai dos livros e chega aos palcos,...

Bike se populariza em tempos de coronavírus

Para fugir das lotações, dos atrasos e riscos de contaminação do transporte público, muitas pessoas se tornaram adeptas das bicicletas neste período Que táxi, que...

31ª Dez Milhas Garoto é adiada para 2021

Com a insegurança em relação a propagação do vírus do Covid-19 pelo Brasil, os principais players do mercado de eventos, feiras e congressos do...

Mostra on-line de arte e cultura em Vitória

A distância dos palcos não impediu que os alunos dos espaços culturais da Secretaria Municipal de Cultura (Semc) se apresentassem ao público em 2020. Durante...
Continua após publicidade