Irã: autoridades atiram contra a população com balas reais

A população foi às ruas e foi recebida com balas de verdade. - Foto: Atta Kenare /AFP

Balas reais e gás lacrimogêneo foram utilizados para dispersar manifestantes que protestavam contra as autoridades

Manifestantes iranianos foram às ruas protestar contra as autoridades que negaram inicialmente ter abatido um avião ucraniano e foram recepcionados com balas reais e gás lacrimogêneo, conforme divulgou a agência Associated Press (AP), nesta sexta-feira (13).

As pessoas que foram às ruas pediram a renúncia do líder supremo do país, aiatolá Ali Khamenei, depois que o governo do Irã afirmou que suas Forças Armadas derrubaram por engano a aeronave, matando as 176 pessoas que estavam a bordo. Saiba mais aqui!

As manifestações ocorreram nesse domingo (12), mas não foram noticiadas rapidamente. No entanto, as organizações não governamentais de defesa de direitos humanos pediram ao Irã que permita que as pessoas protestem pacificamente, de acordo com a Constituição.

“Os iranianos não deviam ter de arriscar a vida para exercer o direito constitucional de se reunir pacificamente”, afirmou o diretor executivo da organização não governamental (ONG) Centro para os Direitos Humanos no Irã, com sede em Nova Iorque.

Estudantes gritavam palavras de ordem, e chamavam as autoridades de “mentirosos” e “assassinos”. Além disso, exigiam punição aos que tentaram encobrir a verdade. A polícia iraniana tentou dispersar os protestos.

Soleimani

O grupo libanês Hezbollah acredita que é necessário que os aliados do Irã comecem a trabalhar para vingar o assassinato do general Qassem Soleimani, morto por ataque de drones norte-americanos em Bagdá, em 02 de janeiro.

Na mão, apoiadora do líder do Hezbollah Sayyed Hassan Nasrallah usa as palavras ‘vingança poderosa’ para se referir à morte de Soleimani. – Foto: Maya Alleruzzo/AP

Segundo o líder do Hezbollah, Sayyed Hassan Nasrallah, a retaliação aos Estados Unidos poderia acontecer nos próximos “dias, semanas ou meses”, até conseguir expulsar as forças norte-americanas do país.

Ele afirma, ainda, que o general iraniano não planejou ataque à base dos Estados Unidos, no Iraque. Destacou também que o Irã lançou os mísseis em duas bases militares que abrigam forças norte-americanas, em resposta à morte de Soleimani.

Nesse domingo, o secretário de Defesa dos EUA, Mark Pompeo, disse estar “indignado” com o ataque à base no Iraque, que deixou quatro feridos.

*Da redação, com informações da Agência Brasil e G1.

Leia Também:
Conteúdo Publicitário