EUA dão informações à Ucrânia sobre queda de avião

Destroços do avião que caiu no aeroporto de Shahedshahr, no Teerã. - Foto: Ebrahim Noroozi/AP

O material da caixa preta do avião começará a ser analisado nesta sexta-feira (10)

A novela “Irã – Estados Unidos” parece não acabar. O país norte-americano entregou, nesta sexta-feira (03), informações importantes relacionadas à queda do avião no Irã ao presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelenskiy.

A queda do avião ocorreu na quarta-feira (08), e deixou 176 mortos. Zelenskiy solicitou que os Estados Unidos, o Canadá e o Reino Unido apresentassem evidências que comprovassem que a aeronave foi alvo de um míssil.

As evidências são grandes, mas ainda não foi confirmada. O premiê canadense, Justin Trudeau, afirma que fontes de inteligência garantem que os mísseis são iranianos, mas dependem da confirmação. Cerca de 63 passageiros que estavam no avião eram canadenses, e 138 deles estavam com destino final o país.

“Temos inteligência de várias fontes, incluindo nossos aliados e nossa própria inteligência. As evidências indicam que o avião foi abatido por um míssil terra-ar iraniano. Pode ter sido não intencional”, disse Trudeau.

Já o premiê britânico, Boris Johnson, destacou que “existe agora um conjunto de informações de que o voo foi abatido por um míssil terra-ar iraniano. Pode ter sido não intencional “.

As vítimas da queda do Boing 737-800. – Foto: Valentyn Ogirenko/Reuters

Fontes oficiais disseram à imprensa norte-americana que as autoridades têm um “alto nível de confiança” sobre os fatos, mas acreditam que a ação foi acidental.

Análises

As caixas pretas do Boing 737-800 foram para a análise nesta sexta-feira (10). Elas foram encaminhadas ao laboratório do aeroporto Mehrabad. De acordo com o G1, o chefe do Conselho de Investigação de Acidentes da Organização de Aviação Civil do Irã, Hassan Rezaeifar, pedirá ajuda a outros países, caso não sejam feitas as identificações do material.

Uma autoridade iraniana também disse à agência Reuters um representante do Conselho Nacional de Segurança nos Transportes dos Estados Unidos (NTSB, sigla em inglês) foi convidado a participar da investigação. A fabricante da aeronave, a Boeing, também afirmou que apoiaria o NTBS no inquérito, bem como o Conselho de Segurança no Transporte do Canadá.

Além disso, conforme as normas internacionais, os países cujos passageiros estavam dentro da aeronave devem acompanhar o procedimento. São eles: Irã, Canadá, Ucrânia, Afeganistão, Suécia, Reino Unido e Alemanha.

Entenda o caso

Um avião ucraniano caiu em Teerã, no Irã, na quarta-feira (08) quando retornava ao aeroporto da cidade logo após a decolagem por causa de uma pane. Testemunhas disseram que ele pegou fogo antes de cair, segundo um relatório inicial da autoridade iraniana de aviação civil divulgado nesta quinta-feira (9).

As 176 pessoas que estavam a bordo são do Irã, Canadá, Ucrânia, Afeganistão, Suécia, Reino Unido e Alemanha.

*Da redação, com informações da Agência Brasil e G1.

Leia Também: