24.9 C
Vitória
sexta-feira, 14 junho, 2024

Ales debate resultados de plano de segurança rural

Audiência realizada pela Comissão de Agricultura debateu segurança na zona rural capixaba

Por Robson Maia

Em audiência realizada nesta terça-feira (7), a Comissão de Agricultura apresentou os resultados da implantação do Plano Estadual de Segurança Rural. A reunião contou com a participação de parlamentares e representantes de grupos agricultores, que demonstraram preocupação com a garantia da segurança e de condições de trabalho que evitem o êxodo para as grandes cidades.

- Continua após a publicidade -

O deputado Coronel Weliton (PTB), requerente do encontro, destacou a defasagem do efetivo da Polícia Militar (PM), que, segundo ele, pode atingir o seu ponto mais baixo em julho de 2024 e comprometer a segurança rural. Embora reconheça o trabalho das polícias, o parlamentar ponderou que os esforços “não foram suficientes para transmitir a sensação devida ao homem do campo.”

O discurso foi ratificado pelo presidente do colegiado, Lucas Scaramussa (Podemos), que pediu mais valorização dos profissionais. Coronel Weliton sugeriu ações como o planejamento das escalas e a contratação de policiais da reserva para reforçar o efetivo contra crimes. Segundo ele, ocorrências como roubos de bombas, eletrodomésticos, veículos, sacas de café, bem como assaltos de propriedades e sequestros são comuns, contudo, muitos não são registrados.

Representando a Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp), o subsecretário de Integração Institucional, Coronel Marcio Celante, rechaçou qualquer tipo de interferência no processo de denúncia.

“Precisamos utilizar uma ferramenta que nós temos, que é o Disque Denúncia 181. Totalmente sigiloso, as mensagens são criptografadas. Se eu ligar do meu celular agora para utilizar e fazer uma denúncia pelo 181, por mais que o sistema queira ou eu queira identificar quem ligou, nós não conseguiremos porque o sistema é totalmente sigiloso”, garantiu.

Nos resultados apresentados, Celante apresentou os números obtidos com a implantação do Plano Estadual de Segurança Rural, lançado em março de 2022. O subsecretário também anunciou ações futuras, como a intenção de expandir o Cerco Inteligente para todo o Estado.

Em relação ao plano, o coronel disse que o documento tem quatro eixos: infraestrutura, atividades operacionais, inteligência e gestão inovadora. A Operação Colheita, um dos pontos do segundo item, apresentou como resultado parcial (até 5 de novembro deste ano) 216 prisões realizadas, 26 armas de fogo e 230 munições apreendidas. Iniciada em 24 de abril, a operação termina em 30 de novembro e contempla 72 municípios.

O subsecretário citou ainda o trabalho realizado nas delegacias rurais. A iniciativa, inclusive, foi detalhada pelo titular da Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes Rurais (DERCR), em Vitória, Alysson Pereira Pequeno. Segundo ele, o objetivo da medida é fortalecer as ações contra o crime no campo e combater ocorrências como furto de gado, café, pimenta, madeira, além de problemas de invasão de terra e crimes ambientais.

Entre para nosso grupo do WhatsApp

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

Matérias relacionadas

Continua após a publicidade

EDIÇÃO DIGITAL

Edição 221

RÁDIO ES BRASIL

Continua após publicidade

Vida Capixaba

- Continua após a publicidade -

Política e ECONOMIA