Um ano difícil de se esquecer

Os ex-governadores Gerson Camata e Albuíno Azeredo morreram neste ano

A morte de dois ex-governadores e a tragédia de Linhares marcaram o noticiário

O Espírito Santo viveu em 2018 o luto pela morte de dois ex-governadores. No dia 26 de dezembro os capixabas receberam a notícia que ninguém esperava: Gerson Camata, que comandou o Estado de 1983 a 1986, morreu assassinado com um tiro no pescoço, aos 77 anos. O autor do crime, Marcus Venício de Moreira Andrade, 66, foi por duas décadas assessor do político que fez história pelo MDB. Preso no mesmo dia, o ex-funcionário assumiu o homicídio, motivado por uma ação judicial movida por Camata contra ele. Pouco mais de três meses antes, Albuíno Azeredo, que esteve à frente do Executivo estadual de 1991 a 1994, morreu em 16 de setembro, aos 73 anos, vítima de parada cardiorrespiratória.

Ao longo de 2018, o Estado também deu adeus a outras personalidades que se destacaram em suas áreas de atuação. Em 28 de maio, a advocacia lamentou a morte, aos 88 anos, do Dr. Agesandro da Costa Pereira. O ex-presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) no Espírito Santo lutava contra a leucemia e teve complicações por conta de uma pneumonia. Personagem simbólico na história política capixaba, o jurista coordenou o Fórum Reage Espírito Santo, marco estadual de combate à corrupção e ao crime organizado.

Emídio Pais, dono de tradicional loja de Vitória, partiu também aos 88 anos em 19 de junho. O empresário, nascido em Portugal, sofreu parada cardíaca após dois meses de internação. Seu estabelecimento trazia o conceito de showroom, uma inovação para a época.

Para não perder os produtos, avicultores distribuíram ovos e galinhas para a população
Greve

O ano de 2018 também foi marcado por acontecimentos que travaram, literalmente, o Estado. Uma das consequências da greve dos caminhoneiros foi uma “galinha gorda” nada divertida na capital. Com a falta de ração para os animais, avicultores decidiram doar sua produção para a população em frente à Assembleia Legislativa do Espírito Santo (Ales), na Enseada do Suá. Era a saída para não desperdiçarem totalmente o resultado de seu trabalho. Em uma hora, cerca de 10 mil galinhas e mil ovos foram distribuídos. Na Serra, as aves chegaram a ser vendidas por R$ 1.

Por pelo menos duas vezes, a Grande Vitória viveu momentos de caos por causa das chuvas torrenciais que extrapolaram a capacidade de absorção do solo. Em abril, equipamentos públicos e privados tiveram seu funcionamento prejudicado com os alagamentos em várias cidades. Em 24 horas, Vitória e Vila Velha registraram níveis de precipitação de 138,21 e 127,49 milímetros, respectivamente. Em novembro, a história se repetiu. No dia 8, um forte temporal provocou alagamentos que demoraram dias para baixar, e bairros como Cobilândia, em Vila Velha, ficaram isolados.

Unidades de saúde, escolas e secretarias de várias prefeituras precisaram suspender os serviços. Rotas do Sistema Transcol foram alteradas por conta da altura das enchentes. No norte do Estado, com apenas 40 minutos de chuva, comerciantes ficaram ilhados, em Linhares. Aracruz, na mesma região, anotou o maior volume pluviométrico no Estado em 24 horas: 165.33 milímetros.

Terceira ponte

Um caso de tentativa de suicídio fez o trânsito da Terceira Ponte, principal acesso entre Vitória e Vila Serra ser interrompido por mais de oito horas, das 15h18 às 23h28, no dia 10 de setembro. A equipe de resgate do Corpo de Bombeiros decidiu pela interdição para impedir o contato de populares com a vítima, que ao fim foi resgatada. Foi o terceiro bloqueio do ano na estrutura por um longo período e o mais demorado da história. O episódio reacendeu a discussão sobre medidas de prevenção a tentativas de suicídio, e uma consulta pública está em andamento com quatro modelos de dispositivos de proteção, formulada pela Agência de Regulação de Serviços Públicos do Espírito Santo (Arsp).

Outra modificação importante na Terceira Ponte foi a cobrança de pedágio unilateral, em vigor desde 17 de julho. A tarifa é dobrada para quem trafega de Vila Velha para Vitória, mas é livre para condutores que vêm no sentido oposto. A medida foi tomada após um estudo realizado pela Secretaria de Estado de Transporte e Obras Públicas (Setop), que previu melhora no fluxo do trânsito e na mobilidade urbana.

A via também ganhará uma faixa extra. Para que o projeto dê certo, a Arsp informou que será retirado o concreto divisor dos dois sentidos, a fim de redimensionar as faixas atuais, formando cinco. “Um moderno sistema de monitoramento e de sinalização vertical e horizontal tornará possível a operação de faixas reversíveis”, informou o diretor-geral da instituição, Julio Castiglioni.

O investimento, com recursos estaduais, será de R$ 24,5 milhões, com estimativa de entrega da obra em oito meses. A data de início das intervenções ainda deve ser definida pelo Departamento de Estradas de Rodagem (DER).

A tragédia em Linhares chocou os capixabas e ganhou repercussão nacional
Caso Linhares

Outro fato que os capixabas não gostariam de ter vivenciado foi o “caso Linhares”. As investigações da polícia concluíram: Georgeval Alves provocou o incêndio que matou o filho, de 3 anos, e o enteado, de 6, na casa da família em 21 de abril. As apurações também apontam que o pai/padastro abusou sexualmente dos meninos.

Conhecido na região como “Pastor George”, o agora réu e detento se apresentava como líder de uma igreja evangélica não reconhecida por nenhuma convenção. Em depoimento logo após as mortes, afirmou que o quarto onde as crianças dormiam pegou fogo durante a noite, mas que não conseguiu salvá-las. O caso culminou também na prisão, por omissão, de Juliana Alves, mãe das crianças.

“A versão do acusado tinha inúmeras incongruências. Laudos periciais também eram incompatíveis com o que ele vinha alegando à polícia. As lesões apresentadas pelo investigado também eram incompatíveis com o laudo. Esses fatores passaram a sugerir que era um incêndio criminoso. Por isso, a polícia viu como necessária uma força-tarefa para chegarmos ao real motivo do incêndio”, declarou à época o chefe da 16ª Delegacia Regional de Linhares, André Jaretta Ardison.

Loco Abreu prometeu empanho dentro de campo para conquistar o Capixabão 2019
Outros destaques

– Placas com padrão dos países do Mercosul começaram a ser usadas no ES.
– A Mocidade Unida da Glória (MUG) se sagrou campeã do Carnaval de Vitória.
– O uruguaio Loco Abreu assinou contrato com o Rio Branco para a disputa do Capixabão 2019.
– Vitória adotou a Linha Verde para incentivar o transporte coletivo e solidário.
– Inauguração dos passeios turísticos em ecobalsas, que navegam por Vitória e Vila Velha.


Leia mais

Artigo – Retrocessos 2018, por Arlindo Vilaschi
Retrospectiva 2018 – Em busca da excelência na pesquisa capixaba

Conteúdo Publicitário

Aproveite as promoções especiais na Loja da ES Brasil!