24.9 C
Vitória
sexta-feira, 14 junho, 2024

Varíola do macaco: Sesa confirma dois casos da doença no estado

No Brasil, o total de casos confirmados da varíola do macaco já chegou a 310, segundo dados do Ministério da Saúde (MS)

Por Wesley Ribeiro 

Em um comunicado divulgado na tarde desta quinta-feira, 14 de julho de 2022, a secretaria de Estado de Saúde (Sesa) confirmou que o Espírito Santo tem dois casos confirmados da varíola do macaco.

- Continua após a publicidade -

Os resultados foram recebidos pelo órgão durante a tarde de hoje. Os pacientes são homens com idade entre 30 e 49 anos, residentes na Grande Vitória, e que possuem histórico recente de viagem ao estado de São Paulo, que já soma 217 casos da doença, segundo o Ministério da Saúde. No Brasil, já são 310 casos confirmados.

Segundo a Sesa, o período de isolamento de ambos os pacientes já se encerrou e estão curados, não trazendo risco à saúde da população capixaba.

O recente surto mundial de varíola dos macacos e a notificação dos primeiros casos suspeitos no Brasil levantou uma dúvida: quem está em risco? Quem está protegido contra a doença?

Existe vacina? 

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), a vacina contra a varíola é capaz de proteger contra a varíola dos macacos. A questão é que esse imunizante parou de ser usado há décadas. No Brasil, a imunização de rotina para a varíola cessou em 1973, segundo informações do Ministério da Saúde.

Embora ninguém saiba quanto tempo a proteção gerada pela vacina permanece, especialistas acreditam que pessoas vacinadas apresentam proteção parcial .

Para esclarecer essas e outras questões, confira abaixo uma entrevista exclusiva com o infectologista do Hospital Maternidade São José, em Colatina, o doutor Eduardo Pandini.

Infectologista explica tudo sobre a varíola do macaco

Entre para nosso grupo do WhatsApp

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

Matérias relacionadas

Continua após a publicidade

EDIÇÃO DIGITAL

Edição 221

RÁDIO ES BRASIL

Continua após publicidade

Vida Capixaba

- Continua após a publicidade -

Política e ECONOMIA