Setor de rochas acumula bons negócios

Setor representa 10% do PIB capixaba e gera mais de 130 mil empregos

O faturamento com as exportações capixabas de rochas ornamentais alcançou US$ 684,4 milhões, o que representa um aumento de 7,23%

Líder na produção e exportação de rochas no Brasil, o Espírito Santo tem o que comemorar em 2019. Mesmo diante das adversidades da economia do país e no mundo, o setor fecha o ano com dados positivos.

No último relatório apresentado pelo Sindicato das Indústrias de Rochas Ornamentais, Cal e Calcários do Estado do Espírito Santo (Sindirochas), referente aos 10 primeiros meses do ano, o faturamento com as exportações capixabas de rochas ornamentais alcançou US$ 684,4 milhões, o que representa um aumento de 7,23% em relação ao mesmo período de 2018.

O grande impulsionador desse dado positivo foi o mármore, já que “blocos de mármores e similares” tiveram crescimento de 56,84% e “chapas e outras peças de mármores e similares” registraram expansão de 38,45%.

Procurados pela ES Brasil, tanto Sindirochas quanto o Centro Brasileiro dos Exportadores de Rochas Ornamentais (Centrorochas) informaram que somente irão fechar o balanço anual referente a 2019 e divulgar os dados no dia 6 de janeiro, quando então deverão conceder entrevistas analisando os resultados.

Tendo como base o levantamento de janeiro a outubro de 2019, a extração de rochas no Espírito Santo representa 81,65% do valor que é exportado pelo país e 76,28% do volume em toneladas. Só pelo Espírito Santo, 1,3 milhão de toneladas foram exportadas, o que corresponde a cifra acima de US$ 684 milhões.

US$ 684,4 milhões foi o faturamento do setor de rochas ornamentais do Espírito Santo de janeiro a outubro de 2019

A força do setor, responsável por 10% do Produto Interno Bruto (PIB) capixaba, também é comprovada com a geração de empregos. De acordo com o Sindirochas, são mais de 130 mil empregos diretos e indiretos gerados. O parque industrial do segmento no Espírito Santo tem cerca de 3.500 empresas, que atuam desde a extração/produção de rochas ornamentais até a sua exportação. O setor é responsável por mais da metade dos teares instalados no Brasil. O Espírito Santo contribui significativamente com o setor de rochas e para a balança comercial brasileira Outro dado motivador para o setor é a valorização do produto capixaba no mercado internacional. De janeiro a outubro, foi registrada uma variação positiva de 8,89% em relação ao mesmo período de 2018. O preço médio saiu de US$ 471,75 a tonelada nos 10 primeiros meses de 2018 para US$ 513,67 a tonelada em 2019.

Assim como em anos anteriores, os Estados Unidos se mantêm como principal destino das rochas capixabas (62,9%), sendo seguido por China (14,7%) e Itália (4,4%).
Novos mercados e mais parcerias entre empresas e estados para fortalecer e expandir a extração e exportação dos produtos estão sendo conquistados no Espírito Santo. Os resultados estão chegando, e a expectativa do setor é de mais avanços no novo ano.

Leia Também: