Morre jornalista Carlos Tourinho aos 57 anos

Foto: Divulgação / UVV

Tourinho estava na Praia da Costa e teve um mau súbito. O velório e o enterro serão nesta segunda (1º)

O jornalista e professor universitário Carlos Tourinho morreu aos 57 anos, nesse domingo (31), na Praia da Costa, em Vila Velha. Ele estava com o filho tomando um banho de mar quando teve um mau súbito.

Tourinho foi socorrido por salva-vidas do serviço de Salvamar da Prefeitura de Vila Velha que fez massagem cardíaca, mas não resistiu. A morte foi registrada na Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) como suposto afogamento.

O velório começa às 10 horas desta segunda-feira (1º) e o enterro será às 12 horas, no Cemitério Parque da Paz, em Ponta da Fruta, Vila Velha.

Profissão

Carlos Alberto Moreira Tourinho foi um nome importante na imprensa capixaba. Ele foi jornalista, professor, pesquisador, doutor em Ciências da Comunicação pela Universidade do Minho, Portugal, com reconhecimento pela Universidade Federal Fluminense (UFF). Também era Especialista em Economia para Jornalistas, Especialista em Estudos Avançados de Comunicação e Bacharel em Comunicação Social.

Muito amigo de Tourinho, o diretor de jornalismo da Rede Gazeta, Abdo Chequer, disse que ele deixou a carreira de servidor público pelo amor à profissão de jornalista. “Estou muito triste. Conheço o Tourinho há muitos anos, uns 45 para ser mais exato. O Tourinho largou uma carreira no Banco do Brasil pelo amor ao jornalismo. Deixou uma carreira segura para pegar todo o desafio do jornalismo e sempre honrou o que fez. Foi um jornalista maravilhoso que seguia como um professor formando novas gerações de jornalistas. Ele era uma pessoa honesta e competente, além de um grande amigo”, disse ao Gazeta Online.

Jornalista Carlos Tourinho atuou por 28 anos na Rede Gazeta. – Foto: Arquivo / TV Gazeta

Ele começou em 1984, na Rede Gazeta, e permaneceu na empresa por 28 anos. também foi titular por três anos da coluna semanal “Carlos Tourinho” e foi articulista da seção Opinião. Ainda foi comentarista do quadro Inovação e Comunicação da Rádio CBN Vitória.

Foi diretor de jornalismo na Record News e ainda foi membro do Conselho de Inovação da Federação das Indústrias do Espírito Santo (Findes). Em 2012 começou a carreira de docente, atuando como professor convidado da Universidade Federal do Espírito Santo (UFES).

Atualmente, atuava como professor do curso de jornalismo da Universidade de Vila Velha (UVV). Também era muito conhecido pelas publicações de vários livros e pela sua história na profissão, além de ministrar palestras e escrever em blogs de comunicação.

Homenagens

Tourinho era muito importante também no meio público. Por meio de nota, o governador Renato Casagrande (PSB) destacou a importância que o jornalista teve para a comunidade capixaba. “É com pesar que recebo a notícia da morte do jornalista Carlos Tourinho, ocorrida na tarde deste domingo (31), em Vila Velha. Ele nos deixa um legado de inovação no jornalismo, sobretudo na mídia televisiva. Tourinho ficará marcado como um dos grandes nomes da nossa imprensa. É uma perda imensa para seus familiares, amigos, colegas de jornalismo, alunos e também para nós, seus telespectadores, que acompanhamos sua trajetória. Neste momento de profunda consternação, envio minhas condolências, meu carinho e todo meu apoio”, disse a nota.

Em sua mídia social, o senador Marcos Do Val (PPS) também se manifestou. “Acabo de receber a notícia do falecimento de Carlos Tourinho. Além de ter sido um grande amigo, pude conviver profissionalmente no período em que fui comentarista de segurança na TV. A gazeta e, posteriormente, na RecordNews. O jornalismo capixaba perde um grande nome!
Lembro-me de que quando me candidatei, que eu o procurei, e o mesmo não mediu esforços para me apoiar naquela caminhada, inclusive, após a eleição continuávamos mantendo contato e ele sempre muito solícito. Meus sentimentos à família”, lamentou.

O deputado estadual e colega de profissão, Ted Conti, também prestou uma homenagem a Tourinho. “Como dói perder um amigo. Tourinho sempre foi uma inspiração para mim e para todos que puderam conviver com ele. Trabalhamos juntos, por mais de duas décadas, na TV Gazeta. Era um profissional brilhante, generoso, competente, ético. E sempre disposto e disponível para uma boa conversa, um bom debate e troca de ideias. Vá em paz, meu amigo. Todo meu carinho para a família. E que Deus conforte nossos corações.

Conteúdo Publicitário