Janeiro Branco: por uma cultura da saúde mental

Foto: Reprodução

Diversas ações são realizadas pelo projeto “Janeiro Branco”. Assim acontece em ruas, praças, parques, espaços religiosos, empresas, entre outros lugares

Nos últimos anos, as doenças mentais tiveram um aumento considerável. O resultado é motivo de grande preocupação entre os profissionais da saúde. Dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), mostram que a depressão atinge 5,8% da população brasileira, e distúrbios relacionados à ansiedade afetam 9,3%.

Criada em janeiro de 2014, em Uberlândia, Minas Gerais, a Campanha “Janeiro Branco” espalhou-se por todo o Brasil e alguns outros países do mundo, como Angola, Japão, Colômbia, Estados Unidos, Portugal e Holanda.

O objetivo é a conscientização e a proteção da saúde mental. No primeiro ano, foram realizadas ações por psicólogos e estudantes do curso. Em 2016, tomou maior proporção com a ajuda das redes sociais e outros profissionais da saúde mental de outros Estados.

A campanha é dedicada a sensibilizar mídias, instituições sociais, públicas e privadas, em relação à importância de projetos estratégicos, recursos financeiros, espaços sociais e iniciativas socioculturais. Dessa forma valorizando as demandas individuais e coletivas relacionados ao universo da Saúde Mental e Emocional.

ESTADO DO ESPÍRITO SANTO   

No Espírito Santo, o governador Renato Casagrande sancionou a Lei Estadual nº 11.078, publicada no Diário Oficial do Estado, no último dia 06 de dezembro. Ele institui o Janeiro Branco no Calendário Oficial.

Segundo a referência técnica em Vigilância de Violências e Acidentes da Secretaria da Saúde (Sesa), Edleusa Cupertino, a violência tem impactos a curto, médio e longo prazo, que somatizam gerando consequências para toda uma existência.

“Quanto maior for o tempo de exposição à violência, maior é o sofrimento psíquico e físico acumulados pela vítima que podem gerar traumas que desencadeiam em forma de patologias. Depressão, ansiedade, doenças osteomusculares, enxaqueca, asma, osteoartrite, diabetes, doenças pulmonares obstrutivas crônicas, problemas gastrointestinais e outros”, destacou Edleusa.

Dados da Vigilância de Violências e Acidentes da Sesa apontam que de janeiro a outubro de 2019, 175 pessoas se suicidaram no Espírito Santo, sendo 126 homens e 49 mulheres.

AÇÕES DO PROJETO 

Diversas ações são realizadas pelo projeto “Janeiro Branco”. Elas acontecem em ruas, praças, parques, espaços religiosos, empresas, residências, espaços acadêmicos, aeroportos, rodoviárias, shoppings, hospitais, prefeituras etc.

Dessa forma, o importante é criar mecanismos de psicoeducação. Assim, falar sobre saúde mental é preciso. Bem como chamar a atenção para temas e subtemas da saúde emocional.

Leia Também:
Conteúdo Publicitário