22.9 C
Vitória
domingo, 29 novembro, 2020

iX é o primeiro SUV 100% elétrico da BMW

Leia Também

Crise para quem não pesquisa

Pesquisar seus mercados, traçar cenários realistas e tomar decisões embasadas em dados é a melhor solução

Mensagem de WhatsApp tem valor como documento?

Tais técnicas representam a maior arma do Estado com o fito de combater o crime, em especial, o organizado

Economicídio

A prova desta triste realidade são seus baixos níveis de crescimento, de competitividade, e de inserção externa

A BMW não revelou as dimensões do veículo, mas adiantou que em comprimento e largura ele se equivale ao X5, e tem quase a altura do X6

Por Emily Nery, especial para o Jornal do Carro (AE)

Há cerca de dois anos, no Salão de Los Angeles (EUA), a BMW revelou o conceito Vision iNext. Agora, a marca alemã apresenta a versão final de seu primeiro SUV elétrico. Batizado de iX, a novidade utiliza uma nova plataforma modular da fabricante. A produção em série começa no segundo semestre do ano que vem, na Alemanha.

A extravagante grade frontal, presente nos mais recentes modelos da montadora de Munique, é um dos destaques do BMW iX, apesar de que nesse caso ela está lá apenas para reforçar a identidade da marca. Isso porque automóveis elétricos prescindem de grandes entradas de ar para refrigeração.

No SUV elétrico, ela tem aparência futurista e abriga sensores, câmera e radar, que auxiliam no sistema de condução semiautônoma Sob o logotipo da BMW no capô está o bocal do reservatório do limpador de para-brisa. Faróis e lanternas são estreitos e as maçanetas ficam embutidas nas portas.

A BMW não revelou as dimensões do veículo, mas adiantou que em comprimento e largura ele se equivale ao X5, e tem quase a altura do X6. Um acabamento preto contorna toda a parte inferior, o que faz o SUV parecer mais alto do que é.

Por dentro, o modelo apresenta aspecto futurista, que pode ser conferido no desenho e revestimento dos bancos, no formato hexagonal do volante e na grande tela da central multimídia, com 14,9 polegadas. A maioria dos comandos é feita por sistemas sensíveis ao toque. São cinco lugares.

Graças à internet 5G a bordo, o BMW iX tem processadores ultrarrápidos, o que de acordo com a BMW resulta em melhores respostas dos dispositivos de condução semiautônoma.

De acordo com a BMW, o SUV vem equipado com a quinta geração da tecnologia de eletrificação da marca, batizada de eDrive. Há dois motores elétricos que juntos geram 500 cv. Com eles, a marca informa que o iX vai de 0 a 100 km/h em 5 s.

A autonomia é de até 600 km, de acordo com o padrão europeu WLTP (condições reais de uso). Isso representa 150 km a mais que o Mercedes-Benz EQC e 154 km além do Audi e-Tron Sportback.

A BMW informa que em estações rápidas de recarga (de 200 kW) é possível obter autonomia para 120 km em 10 minutos. Para repor 80% da capacidade das baterias são necessários 40 minutos. Utilizando um Wallbox de 11 kW, a recarga completa é feita em cerca de 11 horas.

VAN DA PORSCHE

A Porsche revelou um protótipo de minivan desenvolvido em 2018, e que nunca havia sido mostrado. E, embora a ideia de uma van feita por uma marca especializada em esportivos possa parecer algo inconcebível, o protótipo Vision Renndienst chama muita atenção. O modelo foi apresentado como uma espécie de “van espacial” e teve as linhas inspiradas na velha Volkswagen Kombi, mais especificamente em uma unidade que a Porsche utilizava décadas atrás.

Porém, nas mãos da Porsche a “velha senhora” mudou radicalmente. Em vez do formato de “tijolo”, a Vision tem linhas aerodinâmicas, sem cantos vivos. Os faróis são formados por quatro pontos minúsculos, característica de iluminação que está sendo empregada pela fabricante em seus carros atuais.

A frente fechada denota a motorização elétrica, que não precisa de ventilação. Mas nisso ela apenas se iguala à Kombi, que não tinha motor a eletricidade, mas igualmente não precisava de ventilação frontal. A dianteira, porém, é bem inclinada. Essa característica provavelmente salvaria o motorista no caso de uma colisão frontal mais severa. Já na Kombi…

As belas rodas de liga leve de cinco raios têm forma de treliça e calçam pneus largos. A traseira é caracterizada por uma estreita lanterna que vai de lado a lado. Essa, aliás, é mais uma antecipação do que viria a ser uma tendência na Porsche e em outras marcas.

A cabine não foi revelada. Mas o banco do motorista da Vision Renndienst fica em posição central, e o restante é modular. Isso significa que os assentos podem ser rearranjados. São cinco lugares. Como a van é elétrica e todo o sistema fica sob o assoalho, a fabricante informa que os passageiros dispõem de muito espaço.

Embora o projeto da van tenha sido aparentemente uma “viagem” da Porsche, a empresa afirma que ele traz o “DNA” da marca, mesmo sendo um automóvel de um segmento no qual a empresa não atua.

O Vision Renndienst é apenas um de 15 veículos “secretos” criados entre 2005 e 2019 pela Porsche. Agora, eles foram revelados no livro “Porsche Unseen” (Porsche não visto).

ES Brasil Digital

Capa ES Brasil 182
Continua após publicidade

Mais Motores

Primeiro carro autônomo desenvolvido pela Ufes

Pela primeira vez, um carro autônomo trafega em vias públicas. Primeira viagem foi até Meaípe, em Guarapari O Intelligent Autonomous Robotic Automobile (Iara), primeiro carro...

O futuro da aviação executiva

A empresa Spike Aerospace, situada em Boston (EUA), deu início em setembro a uma série de vôos-teste de seu primeiro avião demonstrador, o protótipo...

Fox aposenta motor 1.0 de quatro cilindros

Linha 2016 foi substituída pelo motor 1.0  três cilindros flex A Volkswagen lançou no dia 2 de junho a linha 2016 do Fox,...

Blogs e colunas

A liderança em transformação

Toda empresa que pretenda chegar a algum lugar precisa definir esse lugar e estabelecer como chegar lá.

Trailblazer 2021 ganha tecnologia e perde versões

O Trailblazer agora vem com detecção de pedestres e frenagem autônoma de emergência. O sistema freia o veículo sozinho

Pandemia e seu impactos econômicos

Presidente do Corecon-ES, destacou que as medidas econômicas, condicionadas por um ambiente político controverso