27.2 C
Vitória
sexta-feira, 23 abril, 2021

Festa da Penha 2021 – Imagens virtuais de fé

Mais Artigos

Foto de Elder ´As imagens da fé'
Foto: Divulgação/ Elder

A obra do Convento contou com trabalho de devotos, de indígenas e de escravos africanos, existindo lá inclusive uma senzala que chegou a ter 60 serviçais, que atuavam também na manutenção

Por Manoel Goes Neto

Relatam os historiadores que o Convento da Penha propriamente dito foi fundado em 1651 praticamente 80 anos depois da morte do irmão leigo franciscano Pedro Palácios, que havia chegado em Vila Velha nos anos 1558, e construiu no alto da Penha um oratório (ermida), onde colocou a estampa de Nossa Senhora das Alegrias, e a escultura em madeira de Nossa Senhora da Penha, que mandara vir de Portugal.

Portanto, não foi frei Pedro Palácios que construiu o convento, mesmo porque não
tinha atribuição para decidir por essa fundação, e aqui estava sozinho, tendo chegado
já um ancião para a época, com cerca de 58 anos de idade. A obra do Convento contou
com trabalho de devotos, de indígenas e de escravos africanos, existindo lá inclusive
uma senzala que chegou a ter 60 serviçais, que atuavam também na manutenção.

Foi a partir de 1639 que o então Guardião do Convento da Penha, Frei Paulo de Santo Antônio, transformou a então ermida em altar-mor e começou a construir a igreja que, com o passar dos anos, foi se ampliando até tomar a forma atual.

Ruinas no Convento da Penha
Foto: Divulgação/ Elder

No final do século XVI a então governadora da Capitania do Estado do Espírito Santo, Dona Luísa Grinalda, fez a doação do Outeiro da Ermida das Palmeiras (Monte da Penha) para os franciscanos, através de Título Colonial de Doação. E, passados 451 anos, a Província Franciscana da Imaculada Conceição do Brasil está prestes a receber o Título Definitivo de Posse (Escritura Definitiva) de toda a área do Monte da Penha.

A festa de Nossa Senhora da Penha, realizada no Convento da Penha, este ano no período de 4 a 12 de abril, é uma homenagem à Padroeira do Espírito Santo. Além do significado religioso que tem para o Estado, é uma das mais importantes festas para o movimento turístico capixaba, crescendo a cada ano, sendo feriado estadual. É o maior evento religioso do Estado, e a terceira maior festividade mariana do Brasil, e que completa neste ano 451 anos de festividades ininterruptas. Como no ano passado, será novamente de maneira virtual, devido aos protocolos de prevenção ao novo coronavírus.

Em 1955, através do Título de Custódia para Serviço do Patrimônio da União, e homologado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional-IPHAN, houve a entrega definitiva do Convento aos franciscanos por licença da Santa Sé (Vaticano).

Assim como fizeram o Imperador D. Pedro II e sua comitiva em 1860, hoje mais de 3,5 milhões de fiéis e turistas visitam por ano o Convento da Penha. Devido à pandemia, desde 2020 não tivemos muitas visitações ao Convento da Penha. No ano passado as festividades foram realizadas de maneira virtual e este ano será novamente, com a transmissão das missas. Apenas na tradicional Romaria dos Homens, hoje Romaria das Famílias, no ano de 2019 tivemos a presença de mais de 600 mil pessoas.

A Festa da Penha é um patrimônio histórico-cultural-imaterial de grande relevância, nos quase 5 séculos de história dos capixabas. Temos no Convento da Penha maravilhosas obras de arte de vários autores, de várias épocas, destacando-se as de Benedito Calixto, de Vitor Meireles, e as de Carlo Crepaz. A autoria da tela de Nossa Senhora das Alegrias e de Nossa Senhora da Penha, trazidas por Frei Pedro Palácios, é de autor desconhecido. Um ícone capixaba que é obrigatório conhecer, principalmente para desfrutar do belíssimo visual, visto do alto, das terras capixabas.

Manoel Goes Neto é escritor e subsecretário municipal de Cultura de Vila Velha

ES Brasil Digital

Continua após publicidade

Fique por dentro

Vida Capixaba