27.1 C
Vitória
terça-feira, 23 abril, 2024

Eddie Jordan aposta na reabilitação de Schumacher

Eddie Jordan foi o responsável por dar a primeira chance para Michael Schumacher na Fórmula 1, no GP da Bélgica, em 1991

O irlandês Eddie Jordan, fundador e ex-chefe de equipe da extinta Jordan, animou os fãs de Michael Schumacher ao dar mais uma entrevista polêmica sobre o ex-piloto ao jornal britânico Express Sport. Nela, o empresário afirmou acreditar em um possível milagre envolvendo um dos maiores pilotos da história da Fórmula 1.

“Michael está sendo cuidado incrivelmente. Será que vamos vê-lo no paddock novamente? Você sabe que seria um milagre absoluto, mas também seria um sonho. No entanto, precisamos ser realistas embora haja pessoas na ciência e pessoas na medicina que estão fazendo as coisas mais incríveis com ele”, afirmou.

- Continua após a publicidade -

Eddie Jordan foi o responsável por dar a primeira chance para Michael Schumacher na Fórmula 1, no GP da Bélgica, em 1991. “Penso que enquanto houver esperança e fé no mundo, tudo é possível”, disse.

Meses atrás, Eddie Jordan chegou a afirmar que Corinna, esposa de Schumacher, vive como uma prisioneira. Ele relatou também que tentou visitar o heptacampeão mundial de Fórmula 1, mas teve o pedido negado por familiares do mesmo. Apesar da rápida passagem de Schumacher pela Jordan, ele sempre manteve uma boa relação com Eddie Jordan.

“Corinna estabeleceu algumas regras, eu a conheço muito bem. Eu fiz um esforço para ver Michael nos primeiros dias após o acidente e Corinna não permitiu, e fez o certo em recusar, porque muita gente queria visitá-lo. Já se passaram quase dez anos e Corinna não pode ir a uma festa, almoçar fora. Ela é como uma prisioneira, porque todo mundo quer falar com ela sobre o Michael, sendo que ela não precisa ser lembrada disso a cada minuto”, disse Jordan ao jornal britânico The Sun.

Lenda do automobilismo, Schumacher sofreu um grave acidente de esqui em dezembro de 2013, nos Alpes Franceses. Desde então, seu estado de saúde se tornou um dos maiores mistérios do esporte mundial. Sua família vem cuidando da privacidade do ex-piloto com mãos de ferro, sem deixar vazar qualquer informação sobre suas condições físicas.

“Privado é privado, como ele sempre dizia. É muito importante para mim que ele continue a desfrutar de sua vida privada o máximo possível. O Michael sempre nos protegeu e agora somos nós que protegemos o Michael”, disse Corinna Schumacher no documentário sobre seu marido lançado em 2021 pela Netflix.

Até a produção desta obra, Corinna e seu marido viviam na cidade de Gland, na Suíça. Um leito médico teria sido instalado na casa da família para o devido cuidado do ex-piloto. “Nós vivemos todos juntos em casa. Fazemos terapia. Fazemos tudo que podemos para deixar Michael bem. Queremos ter certeza de que ele está confortável e que está, simplesmente, se sentindo parte da nossa família, da nossa ligação”, afirmou Corinna.

Com informações Agência Estado

Entre para nosso grupo do WhatsApp

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

Matérias relacionadas

Continua após a publicidade

EDIÇÃO DIGITAL

Edição 220

RÁDIO ES BRASIL

Continua após publicidade

Vida Capixaba

- Continua após a publicidade -

Política e ECONOMIA