27.1 C
Vitória
terça-feira, 30 novembro, 2021

E Agora Prefeito?

Encerrado o processo eleitoral, os novos prefeitos e os reeleitos têm outra preocupação: como minimizar os “buracos” causados pela pandemia na Saúde, na Educação e na Geração de Emprego e Renda

Por Luciene Araújo

Após vencer a batalha nas urnas, os novos comandantes dos Executivos municipais têm pouco mais de 30 dias para definir com suas equipes como deverão tratar de três problemas que se destacaram durante a pandemia. O isolamento social trouxe muitos prejuízos, mas não se pode negar que os universos nos quais os prejuízos afetaram um número maior de pessoas foram Saúde, Educação e Geração de Emprego e Renda. Então, como lidar com esses “inimigos” da população? E agora, prefeito?

Na avaliação do cientista político Darlan Campos, o primeiro grande desafio é o tempo curto de transição. “Especialmente nas cidades em que projetos rivais dos que estavam no poder ganharam a prefeitura. Isso vai exigir uma maturidade política importante para fazer bem essa transição num prazo de menos de um mês, contando que teremos Natal e Ano Novo”, aponta.

E o segundo problema de grande peso é que irão assumir ainda em cenário de pandemia. “Já existe uma experiência acumulada pelas atuais gestões de enfrentamento, e com a entrada de um novo grupo no poder, há tendência que novos atores políticos assumam os cargos, então será fundamental manter determinados processos e procedimentos para que o impacto na população seja o menor possível”, descreve Campos. Segundo ele, os próximos prefeitos, especialmente os novatos no cargo, terão de “aprender a operar a máquina com uma velocidade muito maior do que em cenários mais tranquilos”.

ES Brasil conversou com os eleitos, que reafirmaram a grandiosidade dos desafios nessas áreas, destacando ainda que não se pode esquecer que integram a lista de muitos outros problemas existentes nas cidades, já impactadas por crises consecutivas nos últimos três anos. Mas, foram unânimes em garantir que é possível estruturar melhorias nos municípios, especialmente nessas três áreas mais fortemente impactadas pela pandemia da Covid-19

A construção de novas unidades de saúde e de ensino; a implantação de programas que gerem emprego e renda e a desburocratização dos sistemas; e a organização das cidades por meio do uso da tecnologia são as promessas que integram as listas de todos os eleitos na Grande Vitória e de muitos prefeitos também de outros municípios do interior ou de cidades litorâneas nas regiões norte e sul do Estado. Na área específica da saúde, a marcação de consultas e exames online é um avanço prometido por todos.

 

Confira a tabela com os Prefeitos eleitos em 2020 na integra

“Não há como pensar a gestão de uma cidade hoje sem a tecnologia, que nas mãos de profissionais competentes, é a ferramenta mais estratégica ao desenvolvimento de tudo, uma vez que permite organizar os sistemas de todas as secretarias, ter controle de dados em tempo real, informação de qualidade para estruturar melhor as políticas públicas, antecipar possíveis emergências e trazer as melhores soluções diante de imprevistos que podem acontecer, como tragédias naturais, por exemplo,” aponta o prefeito eleito de Ibiraçu, Diego Krentz (PP).

E outro compromisso oficializado no Plano de Governo de quase 100% dos gestores que irão comandar as prefeituras em 2021 é buscar um novo modelo de segurança, que garanta ações integradas e ações mais incisivas nas áreas com maior ocorrência de crimes e população mais vulnerável socialmente. Confira as medidas que os eleitos dos quatro municípios mais populosos do Espírito Santo prometem adotar.

“Vamos zerar no primeiro ano da gestão o déficit de vagas em creches do município, inclusive com a possibilidade da compra de vagas na rede privada” – Pazolini, prefeito eleito de Vitória – Foto: Ranato Cabrini

Vitória

Na capital capixaba, o delegado Lorenzo Pazolini (Republicanos), foi o escolhido por 102.466 eleitores, o que corresponde a 58,50% dos votos válidos, num universo de 185.724 moradores aptos a participarem do processo eleitoral. Somados os votos nulos (6.090), brancos (4.484) e abstenções (65.740) temos 76.284 eleitores que não optaram por nenhum dos dois candidatos participantes do segundo turno, em que Pazolini disputou com o ex-prefeito da capital João Coser, do PT (2005-2012).

Segundo Pazolini, todas as medidas de segurança orientadas pelas autoridades sanitárias serão adotadas a fim de garantir proteção e prevenção aos profissionais e alunos das nossas escolas. Além disso, o prefeito eleito de Vitória defende a necessidade de tornar o ambiente escolar mais atrativo. E assume compromissos ousados.

“Vamos produzir conhecimento capaz de gerar oportunidades para conectar nossas crianças e jovens a um novo mundo, que permita serem protagonistas da sua própria história. Vamos zerar no primeiro ano da gestão o déficit de vagas em creches do município, inclusive com a possibilidade da compra de vagas na rede privada. E também enfrentar o abandono escolar, de forma a garantir que todas as crianças concluam o primeiro ciclo, com inclusão de atividades alternativas no contraturno escolar e expansão das escolas em tempo integral”, afirmou Pazolini, que inclui no projeto de Educação para a cidade, a promoção de cursos preparatórios voltados aos jovens das regiões vulneráveis, a fim de auxiliar o ingresso desses alunos no O Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Espírito Santo (Ifes) e melhor desempenho nas provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

Em relação à saúde, Pazolini destaca que a pandemia trouxe medo à população, que se sente insegura para ir às unidades de saúde e, segundo ele, o foco será na humanização dos serviços. “Nosso trabalho envolverá duas frentes principais, prevenção e cuidado. Nesse sentido, ampliaremos o acesso das pessoas a médicos especialistas, a exames e procedimentos especializados, por meio de parceria com a iniciativa privada. Também ampliaremos a atenção domiciliar, com mais equipes de estratégia da saúde da família, agindo de forma curativa e preventiva. Outra medida será a ampliação gradual do horário de funcionamento das unidades de saúde para até às 22 horas e extensão do atendimento aos finais de semana”, enumera.

Quanto à Geração de Emprego e Renda, o novo prefeito diz que o foco é simplificar e desburocratizar processos, a fim de acelerar a capacidade de empreendedorismo e atração de novos investidores. “Criaremos um programa de empreendedorismo e geração de renda que oferecerá consultorias, cursos e treinamentos, com a possibilidade de abertura de linha de crédito, para quem deseja abrir o primeiro negócio. Atrairemos novos modelos de negócios, sustentáveis, para conectar Vitória com o futuro, abrindo novas oportunidades de mercado. Além disso, teremos mecanismos para incentivar novos modelos de negócio em atividades que gerem empregos para mão de obra de pessoas com mais de 50 anos e menos de 25 anos. Por fim, outra medida será a realização de feiras de emprego em parceria com Sine e empresas privadas para a inserção do morador de Vitória no mercado de trabalho”, se compromete Pazolini.

Temos um grande desafio pela frente: descentralizar investimentos para que sejam aplicados de forma equilibrada gerando qualidade de vida e resgatando o orgulho ser vila-velhense” – Arnaldinho Borgo, prefeito eleito de Via Velha – Foto: Junior Costa

Vila Velha

As pesquisas já apontavam a vitória de Arnaldo Borgo Filho (Podemos), conhecido como Arnaldinho, nas urnas. Mas, a vantagem no número de votos foi além do previsto. Ele foi o mais votado em todos os bairros de Vila Velha, exceto São Torquato, totalizando 138.741 votos (que representam 69,03% dos válidos), vencendo o atual prefeito Max Filho (PSDB), que recebeu 62.236 dos votos válidos (30,97%). Ainda foram registrados 13.793 (6,14%) votos nulos e 9.809 (4,37%) em branco.

O prefeito eleito aponta como o maior problema no município a falta de acesso digno a políticas públicas de segurança, saúde e geração de empregos. E garante que Vila Velha será uma cidade integrada, inteligente, digital, eficiente e atrativa para viver e morar. “Temos um grande desafio pela frente: descentralizar investimentos para que sejam aplicados de forma equilibrada gerando qualidade de vida e resgatando o orgulho de ser vila-velhense; para que a Região 5 tenha infraestrutura, acesso a saúde e segurança, saneamento básico. Vamos derrubar os muros invisíveis que separam as regiões de Vila Velha”.

Entre as falhas do sistema de Saúde, ele aponta que há 20 anos não é construída uma unidade de saúde e garante mudanças focadas no uso da tecnologia e no planejamento. “As pessoas vão agendar atendimento, consultas e vacinas por aplicativo, no site ou por telefone. Vamos humanizar o atendimento, ampliar as equipes Estratégia de Saúde da Família, oferecendo acessibilidade aos espaços públicos. Terminando obras importantes como a unidade de saúde de Riviera da Barra que há seis anos está sendo construída e ninguém entrega”.

Quanto aos problemas surgidos na área da Educação, durante a pandemia, Arnaldinho focou o anúncio das melhorias na construção de novas escolas nas regiões mais vulneráveis, “para acabar com o déficit de cinco mil vagas na educação infantil”.

“Estou voltando não é para fazer aquilo que eu fiz. Queremos fazer um governo conectado com a sociedade, que dê um salto para o futuro, em que a população possa participar ativamente”- Sérgio Vidigal, prefeito eleito da Serra – Foto: Lucas Sandonato

Serra

Sérgio Vidigal (PDT) conquistou 111.920 votos, o que correspondeu a 54,89% dos válidos nas urnas. Ele derrotou Fábio Duarte (Rede), candidato do atual prefeito Audifax Barcelos (Rede), que obteve 45,10% (91.931 votos). Os votos brancos (11.181), nulos (8.112) e as abstenções (104.526) totalizam 123.819 eleitores na cidade que desde 1997 vem assistindo alternância de poder entre Vidigal e Audifax.

Apesar de o gestor estar assumindo o Executivo da cidade mais populosa do Espírito Santo pelo quarto mandato – já atuou como prefeito entre 1997 e 2004, quando elegeu o então aliado Audifax Barcelos; depois entre 2009 e 2012 – promete inovar no modelo de gestão. “Estou voltando não é para fazer aquilo que eu fiz. Queremos fazer um governo conectado com a sociedade, que dê um salto para o futuro, em que a população possa participar ativamente. O que mais quero nesse momento é unir a cidade”, disse. O prefeito priorizou ainda em suas primeiras declarações após confirmada a vitória a necessidade de “investir no empreendedorismo, evidentemente, gerar mais contrato de emprego e renda”.

 

Assumiu o compromisso de implantar unidades de Saúde que funcionam até às 20 horas e ampliar o número de exames e especialidades, além da Clínica do Homem e de Atenção ao Idoso. Vidigal, que é médico psiquiatra, se comprometeu a criar o Programa de Saúde Mental e o de Assistência Domiciliar para “atender aos serranos que têm dificuldade de locomoção”. Outro compromisso assumido é o Consultório de Rua, para ampliar a rede de acolhimento e serviços à população sem moradia.

A ousadia também marca as garantias dadas para Educação. O prefeito eleito afirma que haverá vaga nas creches para todas as crianças de 0 a 3 anos e oferta de tempo integral no ensino fundamental em 50% das escolas. “Vamos voltar com o projeto Educação Aberta, em que a comunidade e a família dos alunos participam das atividades culturais e esportivas nos finais de semana nas escolas, e implantar o Programa de Qualificação de Profissionais da Educação. Criar projetos para garantir aos professores que tenham acesso a especializações como pós, mestrado e doutorado”.

“Vamos garantir educação continuada à toda rede municipal, colaborando com quem tem dificuldade de acesso ao conteúdo para que nossos alunos não fiquem prejudicados” – Euclério Sampaio, prefeito eleito de Cariacica – Foto: Bruno Fritz Freitas

Cariacica

Euclério de Azevedo Sampaio Junior (DEM) venceu a disputa pela Prefeitura de Cariacica, com 95.356 votos (58,69% dos válidos), concorrendo com Celia Tavares (PT) obteve 67.111 votos (41,31% dos válidos). Euclério, que é parlamentar há 16 anos, na Assembleia Legislativa do Espírito Santo, destacou que Cariacica tem a menor receita per capita do Espírito Santo, o que torna o desafio ainda maior frente à realidade imposta pela pandemia do novo coronavírus. “Até por conta deste cenário, estamos tendo um tempo menor para a transição, de pouco mais de 30 dias. Por isso, com menos de 24 horas após sabermos o resultado das urnas, já iniciamos as conversas com o atual prefeito para que possamos escolher nossa equipe de transição e esta tenha total acesso à prefeitura, tendo uma visão mais precisa da administração local, a fim de cumprir nossa maior missão: corresponder à confiança que a sociedade depositou em nosso projeto.

Na saúde, Euclério afirma que irá recuperar a confiança do cariaciquense nesse serviço, com mais unidades operando 24 horas por dia. “Teremos sistema de marcação de consultas online, reduzindo as filas e, mais do que isso, permitindo que os pacientes já saiam com exames e consultas agendadas ao final de sua consulta na unidade básica de saúde”.
Quanto aos problemas surgidos no sistema de ensino por conta da paralisação das atividades por um longo período de tempo, o trabalho terá foco na ampliação do sistema híbrido de ensino (online/presencial). “Vamos garantir educação continuada à toda rede municipal, colaborando com quem tem dificuldade de acesso ao conteúdo para que nossos alunos não fiquem prejudicados”.

E para gerar emprego e renda, a gestão irá adotar a mesma estratégia apontada pelos líderes do Executivo dos demais municípios da Grande Vitória: desburocratizar o serviço público, facilitando a vida de quem já investe ou quer investir. Outra aposta de Euclério é resgatar a autoestima da população, movimentando o comércio local e, assim, fazendo com que a economia gire.

“Para isso, precisamos recuperar os polos comerciais na cidade, melhorando a mobilidade urbana e, com uma infraestrutura adequada e serviços públicos de qualidade, conseguiremos também atrair novos investimentos para a cidade, gerando emprego, renda e oportunidades. Vamos trabalhar para implementar, o quanto antes, o Simplifica Cariacica, facilitando a vida daqueles que buscam abrir seu negócio em nossa cidade. Somente assim, com boas parcerias com a sociedade, o setor produtivo e os governos estadual e federal, conseguiremos transformar nossa Cariacica num lugar melhor de se viver”, finaliza o prefeito eleito.

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Continua após publicidade

Fique por dentro

Vida Capixaba

Continua após publicidade