23.3 C
Vitória
quarta-feira, 17 agosto, 2022

Covid-19: Novembro tem o segundo menor registro de óbitos no ES

O mês de novembro registrou o segundo menor número de óbitos pela Covid-19, desde o início da pandemia no Espírito Santo. Foto: Asscom/Divulgacao

Segundo dados do “Painel Covid-19 – Estado do Espírito Santo”, foram 201 vidas perdidas, em novembro

Por Wesley Ribeiro 

O mês de novembro registrou o segundo menor número de óbitos pela Covid-19, desde o início da pandemia no Espírito Santo, ficando atrás apenas do mês de abril de 2020. Segundo dados desta segunda-feira, 13 de dezembro, do “Painel Covid-19 – Estado do Espírito Santo”, foram 201 vidas perdidas, uma média de 6,7 óbitos por dia pela Covid-19.

esbrasil_grafico_obitos_covid_es
Gráfico da média de mortes por Covid-19 no Espírito Santo. Foto: Reprodução

Os dados, que podem sofrer atualizações, apontam uma redução de 90,3% quando comparado aos 2.085 óbitos registrados em abril deste ano – mês de maior alta. Abril de 2020 ainda é o mês de menor número de óbitos no Estado, com 116. Vale lembrar que foi o mês no qual se registrou o primeiro óbito pela doença no território capixaba.

Ainda segundo expectativas da Secretaria da Saúde (Sesa), o mês de dezembro deste ano pode se configurar como o de menor registro de óbitos pela Covid-19, desde o início da pandemia, caso se mantenha a média de três óbitos por dia.

Como funciona a vigilância dos óbitos

A Sala de Situação da Secretaria da Saúde concentra um importante papel de vigilância epidemiológica da Covid-19 no Estado, destacando-se pela celeridade na investigação e qualificação das informações sobre a doença, em especial dos casos de óbitos.

É por meio do trabalho da vigilância dos óbitos que os casos são investigados, confirmados ou descartados – quando se comprova que a causa da morte não é pela Covid-19.

“Todos os óbitos que são confirmados ou suspeitos pela Covid-19 passam pela Sala de Situação para investigação e posterior encerramento do caso. Não há a possibilidade de um óbito ser fechado como suspeito. Quando as informações que recebemos não são suficientes, há o trabalho de investigação, baseado em todas as informações que temos para, assim, fazermos o fechamento dos casos corretamente”, explicou a responsável técnica pela investigação dos óbitos, Aline Zamprogno.

Segundo a referência técnica do Núcleo Especial de Vigilância Epidemiológica e um dos integrantes da Sala, Cristiano Dell’Antonio, o processo de atualização dos óbitos no painel ocorre de acordo com os óbitos que foram confirmados naquele dia, mas não necessariamente são os óbitos que ocorreram no dia.

“Podem ocorrer atualizações de óbitos que aconteceram em um período anterior, mas que demandaram investigação e naquele dia, após o encerramento da investigação, foram confirmados. Como o Painel funciona com a retroalimentação dos dados, os óbitos que foram encerrados em datas diferentes de sua data de óbito são inseridos corretamente no sistema”, afirma.

Dell’Antonio detalha como isso ocorre: “um óbito que ocorreu no dia 03 de dezembro, mas foi confirmado no dia 06 do mesmo mês, subirá no painel no dia de sua confirmação, mas lá dentro dos micros dados ele aparecerá corretamente na data do óbito.”

Assim, confirmado o óbito pela Covid-19, o caso é fechado como conclusivo no sistema de notificação e é acrescido como um óbito pela doença no Painel da Covid-19, na atualização realizada ao final do dia.

Entre para nosso grupo do WhatsApp

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

Entre para nosso grupo do Telegram

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Continua após publicidade

Fique por dentro

Vida Capixaba

Continua após publicidade