24.9 C
Vitória
sábado, 15 junho, 2024

Como superar a sensação de ser uma fraude?

A sensação de ser uma fraude ou um impostor pode atingir qualquer um de nós, mesmo os mais talentosos e bem-sucedidos

Por Neidy Christo

Você já se sentiu como se estivesse fingindo ser alguém que não é? Como se a qualquer momento alguém fosse descobrir que você não é tão inteligente, capaz ou talentoso (a) quanto as pessoas pensam? Se sim, você pode estar sofrendo da Síndrome do (a) Impostor (a). Essa síndrome é como um intruso silencioso, que afeta muitas pessoas, sussurrando dúvidas sobre as competências e o merecimento das suas conquistas.

- Continua após a publicidade -

Trata-se de um tipo de insegurança que faz com que as pessoas duvidem de suas habilidades e conquistas. Mesmo com provas de seu sucesso, elas continuam se achando incompetentes e acreditam que não merecem o reconhecimento que recebem.

Essa sensação pode atingir qualquer um de nós, mesmo os mais talentosos e bem-sucedidos. Afinal, quem nunca se questionou se realmente merece suas conquistas? Quem nunca ouviu uma voz interna que nos levou a duvidar de nós mesmos, mesmo quando os outros nos aplaudiam?

Mas por que isso acontece? Uma mistura de perfeccionismo, pressão para ter sucesso, baixa autoestima, expectativas irreais, comparação constante com os outros e medo do fracasso podem alimentar essa sensação. No entanto, é vital reconhecer que a síndrome do (a) impostor (a) não é uma verdade absoluta sobre quem somos ou sobre qual é o nosso limite.

Se você já se sentiu como se estivesse “enganando” os outros com seu sucesso, saiba que não está sozinho(a). Todos nós enfrentamos nossas batalhas internas, mas com compaixão por nós mesmos, autoconhecimento, aumento da autoconfiança e apoio mútuo podemos superar essa sensação e abraçar nosso verdadeiro valor.

Então, como podemos superar essa sensação de ser um (a) impostor (a)? Primeiramente, é fundamental reconhecer e validar nossas próprias conquistas. Em vez de minimizar nossos feitos, devemos celebrá-los e reconhecer o esforço e a dedicação que dedicamos para alcançá-los.

Além disso, é importante aprender a internalizar o feedback positivo que recebemos dos outros, em vez de descartá-lo como mera cortesia. Permitir-nos ser vulneráveis e compartilhar nossas preocupações com colegas de confiança também podem ajudar a aliviar o peso dessa síndrome.

Portanto, se você se encontra lutando contra sentimentos de inadequação e autodúvida, cuidado com a Síndrome do (a) Impostor (a), pois ela pode ter um impacto muito negativo na vida pessoal e profissional. Fique sempre atento(a) aos sinais como ansiedade e estresse, depressão, dificuldade em tomar decisões, dificuldade em progredir na carreira, autossabotagem…

Por fim, nunca se esqueça que você é capaz, talentoso (a), merecedor (a) e digno (a) de todas as suas conquistas. Essa síndrome pode ser uma batalha difícil, mas certamente pode ser superada para que você possa continuar avançando em direção ao seu pleno potencial e conquistando seus objetivos.

Neidy Christo é presidente da ABRH-ES, doutoranda em Administração e Consultora em Desenvolvimento Humano.

Mais Artigos

RÁDIO ES BRASIL

Continua após publicidade

Fique por dentro

ECONOMIA

Vida Capixaba