29.9 C
Vitória
quinta-feira, 18 abril, 2024

Com reservas, Brasil perde de Camarões e pega Coreia do Sul

Mesmo com a derrota, seleção brasileira termina a fase classificatória em primeiro lugar do grupo e enfrenta Coreia do Sul

Desorganizado e sentindo falta de entrosamento, o time reserva do Brasil até que tentou fazer frente à limitada seleção de Camarões, mas sofreu um gol de cabeça nos acréscimos e saiu do Lusail Stadium com sua primeira derrota na Copa do Mundo, por 1 a 0. Apesar do revés, o Brasil garantiu a liderança do Grupo G e enfrentará a Coreia do Sul nas oitavas de final, na segunda-feira.

Ainda que corresse à boca pequena entre os jornalistas estrangeiros que cobrem a Copa do Mundo que “o Brasil tem duas seleções”, havia expectativa sobre o real potencial do time reserva para o jogo desta sexta-feira. A qualidade individual dos jogadores praticamente não estava em dúvida, mas colocar onze atletas que não têm o hábito de atuar juntos numa partida suscitava desconfiança.

- Continua após a publicidade -

O jogo também tinha um importante personagem predefinido: Daniel Alves. Escolhido para ser o capitão do Brasil, o atleta de 39 anos foi contestado desde que teve seu nome anunciado por Tite no mês passado. E, contra Camarões, o lateral teve finalmente uma primeira oportunidade para justificar sua presença no Mundial.

Os primeiros 45 minutos mostrariam que a seleção reserva era de fato um bom time, mas carecia, sim, de entrosamento. Acostumado a jogar entre os titulares, Fred mais de uma vez precisou girar em torno do próprio eixo à espera de um companheiro que evoluísse ao ataque. Os pontas, Antony e Martinelli, eram agudos, mas tinham dificuldades em encontrar Gabriel Jesus no meio da área. Rodrygo, o substituto de Neymar, desempenhava bem o papel do titular – inclusive sendo caçado em campo -, mas não tinha chances para finalizar.

Quanto a Daniel Alves, ele foi menos construtor do que Tite tanto se empenhou em destacar nos dias que antecederam à partida Jogou recuado pela direita e mais de uma vez a seleção de Camarões conseguiu progredir por lá. Mas o capitão da seleção brasileira não comprometeu, ajudou a organizar a defesa e até teve chance de fazer um gol, ao bater falta da entrada da área. A bola acabaria indo por cima do travessão.

A seleção voltou sem alterações para o segundo tempo, mas não tardou para Tite promover três mudanças. E isso por causa de um novo problema na lateral. Alex Telles, o substituto do lesionado Alex Sandro, também se contundiu. Sem opção para o lado esquerdo, o jeito foi colocar o zagueiro Marquinhos por lá. Bruno Guimarães e Everton Ribeiro também entraram.

A essa altura, a partida que fechava o Grupo G da Copa do Mundo era de pouca técnica e muita disposição. Porque de um lado havia Camarões tentando ir ao ataque de qualquer jeito em busca de uma classificação improvável, e do outro havia o Brasil reserva buscando o gol de Epassy apenas na base do talento de seus jogadores, uma vez que a organização tática quase inexistia. Até que, aos 47, Mbekeli escapou pela direita e cruzou na primeira trave para Aboubakar cabecear no canto. Ederson apenas olhou a bola morrer no fundo da rede.

Mesmo com o resultado, o Brasil assegurou a primeira colocação no grupo, com seis pontos, e, na segunda-feira, enfrentará a Coreia do Sul pelas oitavas de final da Copa do Mundo. A seleção asiática garantiu classificação de forma surpreendente um pouco antes, ao virar sobre Portugal e chegar aos quatro pontos no Grupo H. Assim, se igualou ao Uruguai, mas terminou à frente pelo critério de gols marcados.

A segunda vaga do Grupo G ficou com a Suíça, com os mesmos seis pontos, mas desvantagem no saldo de gols. Camarões terminou em terceiro, com três, e a Sérvia ficou na lanterna, com apenas um ponto. Nas oitavas, os suíços vão enfrentar Portugal, na terça-feira.

Com informações de Agência Estado

Entre para nosso grupo do WhatsApp

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

Matérias relacionadas

Continua após a publicidade

EDIÇÃO DIGITAL

Edição 220

RÁDIO ES BRASIL

Continua após publicidade

Vida Capixaba

- Continua após a publicidade -

Política e ECONOMIA