21 C
Vitória
terça-feira, 7 dezembro, 2021

Bandidos se passam por deputados para aplicar golpe

Segundo os parlamentares, criminosos estariam usando um número de celular com suas fotos para pedir dinheiro pelo whatsapp

Por Josué de Oliveira

Os deputados estaduais Bruno Lamas (PSB), Janete de Sá (PMN) e Alexandre Xambinho (PL) avisaram, por meio das suas redes sociais, que bandidos estão usando nome e fotos deles para aplicar golpes na população.

Segundo os parlamentares, criminosos estariam usando um número de celular com suas fotos para pedir dinheiro pelo whatsapp.

“Informo que esse número nunca foi meu e nem autorizei ninguém falar por mim através do mesmo”, disse Bruno Lamas.

Num dos diálogos, na última segunda-feira (12), pelo WhatsApp, uma pessoa ligada a Bruno recebeu o pedido de depósito da quantia de R$ 1.180, que seria supostamente para o parlamentar, conforme prints feitos pelo deputado.

“Estou trabalhando ainda, mas sem problemas”, disse a pessoa que tem vínculo com o parlamentar.

“Consegue efetuar um pagamento para mim? Amanhã, te transfiro o valor”, indaga o golpista, que se passa pelo deputado.

“Consigo sim”, afirma o aliado do político.

“Ok. Vou enviar os dados”, garante o estelionatário.

“Já ia pedir isso. Você precisa de quanto?”, questiona a suposta vítima.

“1.180,00, o valor”, declara o golpista. A quantia não foi repassada porque a pessoa desconfiou da ação do bandido.

Em outra situação, o golpista tenta demonstrar afinidade com a suposta vítima.

“Está em casa?”, questiona a pessoa que se passa pelo deputado.

“Sim”, diz o aliado.

“Preciso de um favor”, insiste o estelionatário.

“Quem é?”, indaga o aliado do deputado.

“É o Bruno”, garante o golpista.

Segundo Janete, além dela, os criminosos também estariam se passando por funcionários do seu gabinete. “Não repassem seus dados. Esse número não pertence ao meu mandato”, alertou.

Outro alvo dos bandidos, o deputado Xambinho informou que as mensagem são enviadas em seu nome pedindo para fazer um pagamento.

“Avisem a quem puder para não atender a qualquer pedido de envio de dinheiro. É um golpe. Já tomamos as providências junto à Polícia”, frisou.

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Continua após publicidade

Fique por dentro

Vida Capixaba

Continua após publicidade