Ayrton Senna seria oficialmente um “Herói da Pátria”?

Ayrton Senna seria colocado na lista de heróis oficiais da Nação brasileira (Fotografia - EBC)

Projeto de Lei quer colocar a personalidade no mesmo rol de personagens históricas do Brasil

A Comissão de Educação, Cultura e Esporte (CE) do Senado Federal, em reunião na terça-feira (2), pode votar projeto que inscreve o nome do piloto de automobilismo Ayrton Senna da Silva (1960-1994) no Livro dos Heróis e Heroínas da Pátria (PLC 45/2018).

Ser incluído no livro é receber um reconhecimento formal do Estado brasileiro de grandes feitos para o país. O livro de aço com os nomes dos heróis e heroínas está guardado no Panteão da Pátria Tancredo Neves, na Praça dos Três Poderes, em Brasília.

A proposta do deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), aprovada na Câmara dos Deputados, recebeu relatório favorável do senador Zequinha Marinho (PSC-PA) na CE. Em seu entendimento, a trajetória de Ayrton Senna é marcada pela excepcionalidade e pela busca da perfeição, fatores que o levaram a conquistar três vezes o campeonato mundial de Fórmula 1 (em 1988, 1990 e 1991) e o transformaram em um dos maiores ídolos nacionais.

No livro de aço estão gravados nomes de atores importantes da História do Brasil como o líder abolicionista Zumbi dos Palmares e o maestro Heitor Villa-Lobos (Fotografia – Agência Senado)

“Senna constrói sua carreira na Fórmula 1 com vitórias admiráveis, mas também em luta com condições adversas dos carros que pilota, com problemas de contrato com as equipes e de rivalidade pessoal com alguns pilotos. O mago das pistas, que alcança uma simbiose quase inacreditável com a máquina, também tem problemas semelhantes aos que afligem as pessoas comuns e precisa superá-los para alcançar seus objetivos maiores”, define Zequinha em seu relatório.

Da redação com informações da Agência Senado

Conteúdo Publicitário

Aproveite as promoções especiais na Loja da ES Brasil!