Precisamos aprender a ouvir

Foto: Reprodução

Hoje, existem muitos “faladores”, mas poucos “ouvidores”. O que você é?

Você é capaz de ouvir o que as pessoas dizem?

É capaz de compreender?

Isso é muito importante. Há muitos bons “faladores” por aí, mas muito poucos “ouvidores”. Muito poucos que compreendam bem, que prestem atenção. Prestamos muita atenção em nossa capacidade ou incapacidade de falar, mas nem sempre em nossa capacidade ou incapacidade de ouvir.

É mais fácil falar. Poucas vezes falar dói. Mas muitas vezes ouvir dói.

Será que temos ouvidos para ouvir?

Ouvir é fundamental e precisamos crescer na capacidade de ouvir.

Às vezes ouvimos nos preparando para falar, e aí não ouvimos de verdade. Às vezes ouvimos apenas para fazer de conta que estamos interessados. Isso não é ouvir. Quanto menos ouvimos, menos acreditamos no que as pessoas falam. Isso pode parecer obvio, mas não é tão claro quanto parece. Precisamos aprender a ouvir.

E, de certa forma, precisamos aprender a ouvir o que nós mesmos dizemos.

Nossas palavras revelam nosso coração. Jamais atribua pouco valor às próprias palavras. Nenhuma palavra é neutra. Elas nos revelam!

Quais são os seus comentários?

O que você anda dizendo por aí?

Eles podem se referir a outros, mas revelam você mesmo.

Que palavras você mais pronuncia? “A boca fala do que está cheio o coração” (Lc 6.45) – palavras de Jesus!

Não há quem não tropece em palavras, mas isso é diferente de andar mancando! Uma coisa é sermos falhos, outra é sermos maus.

Cuidado. Olhe para si mesmo. Pense um pouco mais antes de falar.

Foto: Reprodução

Escute sua própria voz.

Arrependa-se! “Nenhuma palavra torpe saia da boca de vocês, mas apenas a que for útil para edificar os outros, conforme a necessidade, para que conceda graça aos que a ouvem.” (Ef 4.29).

Temos muitos motivos para sermos mais cuidadosos com nossas palavras

Estamos sujeitos a falar sem o mínimo bom senso. E às vezes falamos, como se falar fosse apenas “falar”. Falamos para dar vazão à raiva, ressentimento, ciúmes, inveja, mágoa… As palavras devem importar mais para nós e devemos ser mais cuidadosos.

Pecamos e ferimos usando palavras. Há vinganças por palavras! Há palavras que jamais serão esquecidas. Há palavras de pais que arruínam a vida de filhos.

Refiro-me ao peso que a palavra dos pais tem na vida emocional dos filhos.

Palavras pesam e a falta delas também. Há pessoas que seguem pela vida subnutridas, famintas das palavras de amor, aceitação e afirmação que não ouviram.

Exerça o poder da palavra com sabedoria e amor.

Não tenha medo de falar, apenas tenha a certeza de falar o que não gostaria de omitir depois.

Não fale tudo que pensa, mas pense bem em tudo que fala (Aristóteles fez esse alerta).

“Obrigado”, “Desculpe-me”, “Amo você”, “Por Favor”, “Deus Abençoe Você” são palavras que devemos usar mais.

Pense nas que deve evitar. Use o silêncio que edifica e evite as palavras que destroem. Não julgue, não seja maldoso, não faça fofocas. Se uma má notícia lhe causa prazer, você não é a pessoa para passa-la a outro.

Que neste ano que inicia, suas palavras produzam orgulho em você e gratidão nos homens!

 

 

Aproveite as promoções especiais na Loja da ES Brasil!