Jornalista Ricardo Boechat morre aos 66 anos

Foto: Reprodução

Jornalista, que era apresentador do Jornal da Band e da rádio BandNews FM, estava em helicóptero que caiu em São Paulo

O jornalista, apresentador e radialista Ricardo Eugênio Boechat morreu na tarde desta segunda-feira (11), em São Paulo, após a queda do helicóptero em que estava ter caído na Rodovia Anhanguera.

O helicóptero bateu na parte dianteira de um caminhão que transitava pela via. O piloto também morreu no acidente.

Boechat foi a Campinas, no interior de São Paulo, para dar uma palestra e retornava à capital. Ele deveria pousar no heliporto da Band, no Morumbi, Zona Sul.

O anúncio da morte do jornalista foi feita pelo colega de profissão, José Luiz Datena, que alegou jamais achar que daria esse tipo de informação. “Com profundo pesar desses quase 50 anos de jornalismo, cabe a mim informar a vocês que o jornalista Ricardo Boechat, pai de família, companheiro, o maior âncora do jornalismo da TV brasileira, morreu hoje em um acidente de helicóptero no Rodoanel em São Paulo”.

Boechat deixa seis filhos e a esposa, a jornalista Veruska Seibel Boechat, que também é capixaba.

Acidente

De acordo com informações dos jornais locais, o helicóptero caiu perto do quilômetro 7 do Rodoanel, sentido Castelo Branco. De acordo com a CCR Rodoanel Oeste, que administra a rodovia, houve uma terceira vítima com ferimentos, o motorista do caminhão, mas ainda não se sabe o estado de saúde dele.

O chamado de socorro foi feito às 12h14. No momento, o helicóptero Águia-13, da Polícia Militar e, ao menos, 11 viaturas para o local. A Polícia Rodoviária Estadual informou que a alça de acesso do Rodoanel à Rodovia Anhanguera precisou ser interditada, mas a rodovia não foi bloqueada.

Acidente ocorreu na Rodoanel, zona Sul de São Paulo. – Foto: TV Globo/Reprodução

Por ironia ou não, horas antes do acidente, Boechat comentou no programa Café com Jornal as grandes tragédias que acontecem no Brasil e, em sua grande maioria, “ficam livres de punição”.

Carreira

Ricardo Eugênio Boechat nasceu em 13 de julho de 1952, em Buenos Aires, porque seu pai, que era diplomata, estava a trabalho pelo Ministério das Relações Exteriores na Argentina.

Passou por vários jornais como “O Globo”, “O Estado de S. Paulo”, “Jornal do Brasil” e “O Dia”. Na década de 1990, teve uma coluna diária no “Bom Dia Brasil”, na TV Globo. Atualmente, era apresentador da rádio BandNews FM, da TV Band e tinha uma coluna na revista Isto É.

Ganhador de três prêmios Esso e recordista de vitórias no Prêmio Comunique-se e único a ganhar em três categorias diferentes (Âncora de Rádio, Colunista de Notícia e Âncora de TV). Em pesquisa do site Jornalistas & Cia em 2014, que listou cem profissionais do setor, Boechat foi eleito o jornalista mais admirado.

O jornalista fazia parte da equipe da BandNews.- Foto: Nelson Almeida/AFP

Com seu jeito irreverente e destemido, foi eleito por três vezes ganhador do Prêmio Esso, o maior ganhador da história do Prêmio Comunique-se, e também foi eleito por duas vezes o jornalista mais admirado do país.

Homenagens

Colegas de profissão, artistas e pessoas de renome lamentaram a morte de Ricardo Boechat por meio das mídias sociais e da imprensa. Por meio do Twitter, o presidente Jair Bolsonaro se manifestou. “É com pesar que recebo a triste notícia do falecimento do jornalista Ricardo Boechat, que estava no helicóptero que caiu hoje em SP. Minha solidariedade à família do profissional e colega que sempre tive muito respeito, bem como do piloto. Que Deus console a todos!”.

A rádio BandNews FM também fez uma publicação na mídia social. “É com profunda tristeza e consternação que nós, da Rádio BandNews FM, comunicamos a morte do nosso amigo e âncora de todas as manhãs, Ricardo Boechat.”, disse o post.

Por meio de nota, o governador do Espírito Santo, Renato Casagrande, também lamentou a morte do jornalista. “É com pesar que recebo a notícia da morte do jornalista Ricardo Boechat. O jornalismo brasileiro perde hoje uma de suas referências. Defensor do pluralismo de ideias e da imprensa livre, Boechat tinha fortes ligações com nosso Estado. Meus sentimentos à Veruska, sua esposa, aos familiares e amigos neste momento de dor.”, disse a nota.

O presidente da Assembleia Legislativa, Erick Musso, também se manifestou. “Com a morte de Ricardo Boechat, o Brasil perde uma de suas maiores referências no Jornalismo. A isenção e o pluralismo estão de luto. Nosso abraço e desejo de conforto à também jornalista capixaba Veruska Seibel, casada com Boechat”, disse Musso.

 

Conteúdo Publicitário

Aproveite as promoções especiais na Loja da ES Brasil!