20.5 C
Vitória
sábado, 20 DE julho DE 2024

Visagismo: O que é e como usar a seu favor

Entenda a Ciência das Cores na Moda: Especialista explica como funciona a colorimetria e sua importância na autoimagem

Por Mariah Friedrich

A ciência por trás das cores no mundo da moda pode transformar a maneira como as pessoas são percebidas e se sentem consigo mesmas. Conhecer os tons que mais favorecem a própria imagem pode ser um caminho para irradiar confiança para o mundo. É o que explica a especialista em coloração, estilo e visagismo Maya Gobira Meneghelli, que conversou com a ES Brasil sobre o papel das cores em nossa vida cotidiana.

- Continua após a publicidade -

Maya Meneghelli define a colorimetria como uma ciência que investiga a percepção das cores pelos seres humanos.

“Existem várias formas de estudar cores. A coloração pessoal, um teste para descobrir o que nos favorece, é uma delas, mas as cores influenciam muitas coisas na sociedade. A cor do ano, por exemplo, é lançada pela Pantone de acordo com as tendências comportamentais da população mundial naquele momento. Existe também a cromoterapia, terapia pelas cores, reconhecida pela Organização Mundial da Saúde há quase 40 anos. As cores interferem nas nossas emoções, e a gente as veste de acordo com o nosso estado afetivo naquele momento da vida ou do dia”, detalha Maya.

Descobrindo sua paleta pessoal

Identificar a coloração pessoal vai além de simplesmente descobrir uma paleta de cores favoritas. Maya enfatizou que o processo envolve entender as características únicas da pele de uma pessoa, desde seu brilho até seu contraste. Ao fazer isso, é possível multiplicar a beleza natural, vestindo cores que valorizam a aparência de cada indivíduo.

Visagismo: O que é e como usar a seu favor
Maya é especialista em coloração e estilo – Foto: Acervo Pessoal

No processo de identificação da coloração pessoal, é empregada uma técnica chamada análise cromática ou análise de coloração pessoal, que consiste em uma série de testes de comparação. Apesar de não ser uma ciência exata, é uma arte guiada pelo olhar atento. “Comparamos cores frias e cores quentes, cores claras e cores escuras, assim como cores opacas e brilhantes”, descreve Maya Menghelli.

Com base nos resultados dessas comparações, é possível determinar a estação à qual uma pessoa pertence: primavera, outono, inverno ou verão. Cada estação possui suas próprias nuances, representadas pelas paletas específicas. Esse processo, embora simples em sua essência, requer um olhar treinado e observador para identificar as sutilezas necessárias.

Em termos mais simples, trata-se de um teste comparativo no qual dois elementos são constantemente confrontados. Primeiro, comparam-se cores frias e cores quentes, colocando tecidos de cores frias e quentes junto à pele para determinar qual delas a favorece mais. O mesmo procedimento é repetido com cores claras e escuras, seguido por cores intensas e opacas. Ao final desse processo de comparação, a paleta de cores ideal é revelada.

Além disso, há técnicas de análise digital, onde a foto da pessoa é inserida em slides para comparar cores frias e quentes, levando à conclusão sobre qual paleta é mais adequada, com base nos resultados de cada etapa do teste.

Facilitando o momento das compras

Conhecer sua paleta de cores pessoal simplifica o processo de compras, economizando tempo e dinheiro. Ao evitar peças que não estão em harmonia com sua paleta, é possível construir um guarda-roupa que reflete a verdadeira beleza individual. Além disso, o uso das cores certas eleva a autoconfiança, iluminando o rosto e proporcionando uma aparência rejuvenescida e alegre.

“Você tira do seu armário peças que não te favorecem, então economiza dinheiro, tempo, espaço e acaba se tornando muito mais minimalista, porque com aquelas poucas coisas que te favorecem muito consegue estar sempre bem”, conclui Maya Meneghelli.

O poder transformador da colorimetria

A experiência de Maya, tanto pessoal quanto profissional, mostra o poder transformador da colorimetria. Ajudando as pessoas a descobrir sua verdadeira beleza, a técnica oferece mais do que uma mudança estética, mas também proporciona uma transformação interior, impulsionando a autoaceitação, confiança e bem-estar.

“A pessoa se vê bem e ao mesmo tempo os outros a vêem bem. As cores da paleta deixam ela mais iluminada, mais jovem, até mais alegre, porque os tons certos vão adicionar mais volume ao rosto, tornando a aparência rejuvenescida”, comenta a visagista Maya Meneghelli.

Um exemplo concreto dessa transformação pode ser observado no cabelo. Muitas mulheres, ao se depararem com cabelos brancos, optam por fazer luzes para disfarçar os fios brancos. No entanto, se a paleta natural da pessoa é mais escura, essa tentativa de cobrir os cabelos brancos muitas vezes não resulta no efeito desejado. O contraste diminuído leva à aparência envelhecida e entristecida.

No entanto, quando retornam à sua cor natural, como um castanho escuro ou preto, a transformação é surpreendente. Às vezes, elas parecem rejuvenescer de 10 a 15 anos. Maya compartilha o caso de uma cliente cujo marido, ao vê-la após essa mudança, exclamou: “Uau, você parece mais jovem!” Esse é apenas um exemplo de como a coloração pessoal pode revitalizar não apenas a aparência física, mas também a autoestima, criando uma sensação de confiança e bem-estar.

Equilibrando tendências e identidade pessoal

Maya Meneghelli destacou que a colorimetria pode libertar as pessoas da pressão das tendências da moda. “Conhecer a paleta é libertador pra você não ser escrava da tendência, mas usar a tendência que se quer de forma consciente”, percebe a visagista. Mesmo dentro das tendências, há espaço para adaptar as cores de acordo com sua paleta pessoal, permitindo estar na moda e ainda se sentir autêntico.

Consultoria profissional: Um investimento para a vida

Um erro comum que as pessoas cometem ao escolher cores para si mesmas é basear suas escolhas no que vêem em outras pessoas. Por exemplo, ao ver um vestido deslumbrante em alguém e notar que a pessoa está incrível, é fácil cair na tentação de comprar o mesmo vestido esperando replicar o mesmo efeito. No entanto, o que funciona em uma pessoa pode não ter o mesmo impacto em outra.

Visagismo: O que é e como usar a seu favor
Homens também têm procurado por consultorias – Foto: Acervo pessoal

Esse é o erro principal: presumir que uma cor que funciona bem em outra pessoa terá o mesmo efeito em você. A compreensão adequada de sua paleta de cores pessoal é essencial para evitar esses enganos e escolher cores que verdadeiramente realcem sua beleza única.

Por isso, Maya destaca que investir em uma consultoria profissional em colorimetria representa um investimento para toda a vida. Ela comparou o custo de uma consulta ao valor de uma roupa de qualidade, enfatizando que é um preço pequeno a pagar para evitar compras desnecessárias e construir uma autoimagem confiante e autêntica.

“A faixa de valor de uma coloração pessoal é de 500 a 700 reais, o preço de um bom vestido, que se paga para nunca mais comprar uma roupa que não vai me favorecer. Além do mais, o bem-estar consigo mesmo ajuda a produzir mais, se sentir mais feliz e viver melhor. Então, isso não tem preço”, completa a especialista em coloração e imagem pessoal.

Entre para nosso grupo do WhatsApp

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

Matérias relacionadas

Continua após a publicidade

EDIÇÃO DIGITAL

Edição 222

RÁDIO ES BRASIL

Continua após publicidade

Vida Capixaba

- Continua após a publicidade -

Política e ECONOMIA