22.9 C
Vitória
domingo, 23 junho, 2024

Tributos comprometem até 78,9% do presente para o Dia dos Namorados

Perfume importado e smartphone só os que registram os maiores percentuais de impostos, de acordo com levantamento feito por advogado tributarista

Por Redação

Com a proximidade da época mais romântica do ano para os brasileiros, o Dia dos Namorados, começa a corrida pela procura do presente ideal. Ao analisar as opções, é importante o consumidor entender que os tributos embutidos no preço final do produto podem encarecer a compra.

- Continua após a publicidade -

Levantamento elaborado pelo advogado tributarista Samir Nemer com os principais itens escolhidos para a data, aponta que o produto com o maior percentual de imposto em seu preço final é o perfume importado, que tem 78,99% de seu valor voltado só para tributos.

O ranking segue com o perfume nacional, com 69,13% de impostos, e o smartphone importado (68,76%). “Nos produtos importados, além da tributação tradicional (IPI, ICMS, PIS/Cofins), é acrescentado o imposto de importação, que encarece ainda mais o seu preço. Além disso, a alta do dólar tem pressionado o valor desses itens, sem contar a taxa de comércio exterior, o frete, o desembaraço aduaneiro”, esclarece Nemer, que é sócio do escritório Furtado Nemer Advogados.

Na lista de presentes com mais da metade de seu valor só de tributos, está também o ipad importado, com 59,32% de seu custo destinado aos cofres públicos, além de relógio (56,14%), cosméticos (55,27%), maquiagem (51,41%) e joias (50,44%).

Tributos comprometem até 78,9% do presente para o Dia dos Namorados
Samir Nemer: “Ter conhecimento dos percentuais que pagamos de tributos é essencial, tanto para fazer a escolha do presente, quanto para acompanhar como esses valores são destinados pelos administradores públicos em prol da população” – Foto: Fabio Nunes

“Ter conhecimento dos percentuais que pagamos de tributos é essencial, tanto para fazer a escolha do presente, quanto para acompanhar como esses valores são destinados pelos administradores públicos em prol da população, em setores como saúde, educação, segurança e infraestrutura. Vale lembrar que o percentual médio da carga tributária bruta brasileira é de 32,44% do PIB (Produto Interno Bruto) e que o Brasil proporciona o pior retorno dos valores arrecadados em prol do bem-estar da sociedade entre os 30 países com maior carga tributária.”

Menos tributos

Entre os principais produtos escolhidos para esta época do ano, aqueles que têm menores percentuais de tributos são, de acordo com levantamento de Nemer: buquê de flores, com 17,71% de seu valor final só de impostos, chinelo (31,09%) e roupas em geral (34,67%). Há ainda os livros, que não têm tributação – regra prevista na Constituição Federal.

“Outro presente com baixo percentual de tributos são os ingressos para cinema, teatro, jogos e shows, com 20,85%. As taxas são menores porque não há incidência do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI)”, ressaltou Nemer.

Segundo o advogado, com a reforma tributária sendo regulamentada, em debate no Congresso Nacional, vão haver alterações nos percentuais dos tributos, mas isso ainda vai começar a ser colocado em prática daqui a dois anos, quando começa a transição entre os sistemas.

Os principais presentes e seus impostos:

1- Perfume importado: 78,9%
2- Perfume nacional: 69,13%
3- Smartphone importado: 68,76%
4- Ipad importado: 59,32%
5- Tênis importado: 58,59%
6- Relógio: 56,14%
7- Cosméticos: 55,27%
8- Maquiagem: 51,41%
9- Joias: 50,44%
10- Óculos de sol: 44,18%
11- Tênis nacional: 44%
12- Bijuterias: 43,36%
13- Bolsa: 39,95%
14- Celular: 39,80%
15- Chocolate: 39,61%
16- Sapato: 36,17%
17- Bermuda, camisa e outras roupas: 34,67%
18- Chinelo: 31,09%
19- Ingressos para cinemas, shows e teatros: 20,85%
20- Buquê de flores: 17,71%

Fonte: Levantamento do advogado tributarista Samir Nemer, com base no site Impostômetro.

Entre para nosso grupo do WhatsApp

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

Matérias relacionadas

Continua após a publicidade

EDIÇÃO DIGITAL

Edição 221

RÁDIO ES BRASIL

Continua após publicidade

Vida Capixaba

- Continua após a publicidade -

Política e ECONOMIA