23.3 C
Vitória
domingo, 21 abril, 2024

Taxação de importados: Pimenta nega recuo do governo

Segundo o ministro da Secretaria de Comunicação Social, os ajustes da taxação anteriormente anunciada buscam diminuir o rombo fiscal no País

O ministro da Secretaria de Comunicação Social (Secom), Paulo Pimenta, negou que houve um recuo do governo federal em relação à taxação de importados. De acordo com ele, a medida anunciada nesta terça-feira, 18, não é um recuo, mas “um ajuste”

“Não é um recuo, é um ajuste buscando o mesmo resultado com medidas administrativas sem que haja qualquer reflexo a pessoa física”, disse. 

- Continua após a publicidade -

Ao mesmo tempo em que houve um pedido do presidente Luiz Inácio Lula da Silva para que seja mantido o modelo atual de isenção entre pessoas físicas, Pimenta ressaltou a necessidade de maior fiscalização para evitar a sonegação. “A posição do presidente é que não haja nenhuma mudança das pessoas físicas, mas que, ao mesmo tempo, a Receita busque mecanismos e medidas administrativas, de fiscalização e ações a qualquer tentativa de sonegação”, afirmou.

Segundo o ministro, a adoção de tais mecanismos de fiscalização devem alcançar “o mesmo objetivo” que a taxação a importados anteriormente anunciada, que é de diminuir o rombo fiscal no País. Contudo, conforme pontuou, sem a taxação, o cidadão não será impactado.

Apesar de um recuo do governo em relação ao anúncio, Pimenta negou que contraria o ministro da Fazenda, Fernando Haddad. “A decisão de Lula não desautoriza Haddad, ao contrário, é através do diálogo, do debate que vamos ajustando as políticas do governo”, pontuou. “Havia tentativa de sonegação, com intenção de dificultar a identificação do remetente.”

Com informações de Agência Estado

Entre para nosso grupo do WhatsApp

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

Matérias relacionadas

Continua após a publicidade

EDIÇÃO DIGITAL

Edição 220

RÁDIO ES BRASIL

Continua após publicidade

Vida Capixaba

- Continua após a publicidade -

Política e ECONOMIA