22.9 C
Vitória
segunda-feira, 16 maio, 2022

Startup capixaba movimenta 35 milhões com imóveis de luxo

Empresa montou plataforma para networking. Foto: Divulgação/ImobiGroup

A ImobiGroup aproveitou o crescimento do mercado para criar uma plataforma de networking exclusiva com o público de alto padrão

A busca por conforto e bem-estar está movimentando o mercado imobiliário. Forçada a ficar mais tempo em casa, em razão da pandemia da Covid-19, muita gente passou a ter um novo olhar sobre o “lar doce lar”. Em pouco mais de um mês, a ImobiGroup faturou R$ 35 milhões com imóveis de alto padrão.

Mais espaço, proximidade da natureza e serviços por perto estão os critérios para a aquisição, principalmente, entre as pessoas com alto poder aquisitivo, o que aumenta a demanda por imóveis de luxo.

“Antes você tinha uma mãe que trabalhava fora, a criança que tinha suas demandas fora de casa, mas de repente a família se viu enclausurada”, explicou o CEO da ImobiGroup, Thiago Abreu.

A tendência irá continuar até a metade do segundo semestre, segundo ele. “Existe um panorama onde estamos em patamarização desde 2013 e 2014. Temos uns oito anos de demanda reprimida. Com relação ao mercado de luxo, esse crescimento tende a se manter. As eleições podem vir a interferir, a alta da inflação e dos preços do setor de construção civil, mas acredito que até metade do segundo semestre de 2022 ainda teremos muitas oportunidades de crescimento’, avaliou.

Plataforma exclusiva

A empresa criou uma plataforma de atendimento exclusiva, a Confra Imobi, visando a venda de imóveis ao público de alto padrão. Em 45 dias, o faturamento foi de R$ 35 milhões. A ImobiGroup atua no mercado imobiliário desde à incorporação até a entrega.

A interface reúne pessoas que estão envolvidas direta e indiretamente no mercado de luxo e também os possíveis compradores. “E é uma plataforma que dá toda segurança para que as pessoas se relacionarem. Criamos uma rede de networking através de uma estratégia de start up imobiliário”, disse Abreu.

Os elementos que compõem a aquisição no mercado de luxo estão associados à influência de terceiros, alguém que sugestione a compra, na opinião do CEO da ImobiGroup.

O mercado imobiliário de luxo tende a crescer até a segunda metade de 2022, segundo Abreu. Foto: Divulgação/ImobiGroup

“Usamos dessa estratégia de indicação para impactar o nosso resultado de vendas. Ao invés de nos fecharmos no nosso próprio time de vendas, abrimos oportunidade para que corretores e pessoas ligadas a esse público se aproximassem. Havia uma demanda reprimida, além da questão da pandemia, com as pessoas trancadas em casa. Começamos a fazer eventos com chefs renomados, mesmo respeitando todos os protocolos de segurança, eles eram cada vez mais procurados”, comentou.

Crescimento do setor

Segundo a Associação Brasileira de Incorporadoras imobiliárias (Abrainc), no último trimestre teve um aumento nos lançamentos de 477,7%, se comparado ao mesmo período de 2020, e uma alta de 235,6% no acumulado ano. As vendas também apontam para uma subida de 41,7% em relação ao mesmo período de 2020; 23,8% entre janeiro e julho de 2021 e, 16,8% quando considerados os últimos 12 meses.

Para os próximos meses a expectativa é ainda melhor. “Ainda este ano, pretendemos fechar com crescimento de 40% nas vendas e de 30% em lançamentos sobre os dados de 2020. As incorporadoras projetam um ano positivo para 2022”, afirmou o presidente da Abrainc, Luiz França.

 

 

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Continua após publicidade

Fique por dentro

Vida Capixaba

Continua após publicidade