24.4 C
Vitória
quarta-feira, 29 maio, 2024

Santos vence Palmeiras e abre vantagem na final do Paulistão

O time de Fábio Carille dominou o primeiro clássico da final e largou em vantagem na decisão do Paulistão ao ganhar por 1 a 0

O Santos jogará a segunda divisão pela primeira vez em sua história, mas, a julgar pelo seu desempenho nos primeiros meses de 2024, não terá dificuldades para voltar à Série A do Campeonato Brasileiro. Isso ficou ainda mais evidente pela atuação diante do Palmeiras, atual bicampeão brasileiro e paulista. Sob os olhares de Neymar, que entrou em campo na Vila Belmiro com a taça que será entregue ao campeão, o time de Fábio Carille dominou o primeiro clássico da final e largou em vantagem na decisão do Paulistão ao ganhar por 1 a 0.

Foi do venezuelano Otero o gol que garantiu a vitória do Santos e deu à equipe alvinegra a vantagem do empate no jogo de volta, na semana que vem, quando será conhecido o campeão paulista deste ano. A seu favor, o Palmeiras, que viu cair sua invencibilidade no torneio, terá o Allianz Parque lotado, mas precisa ganhar por ao menos dois gols de diferença para erguer a taça pela terceira vez seguida, feito que não acontece desde 1934. Caso vença por um, o título será decidido nos pênaltis.

- Continua após a publicidade -

Curiosamente, nos dois anos anteriores em que levantou a taça do Estadual, o time de Abel Ferreira perdeu o jogo de ida contra São Paulo e Água Santa.

O Santos fez Neymar e mais de 15 mil torcedores felizes na Vila Belmiro. Foi competitivo como tem sido e dominou o Palmeiras durante a maior parte da partida. No primeiro tempo, teve mais volume de jogo, empurrou o rival para o campo de defesa e chegou com perigo em arremates de fora da área.

A virtude do Palmeiras foi se defender bem e fazer uma leitura tática inteligente nos primeiros 45 minutos. Inteligente não foi Flaco López na única chance de gol que os visitantes criaram na etapa inicial. Artilheiro da competição, o argentino ficou na cara do gol após assistência de Endrick, mas parou no goleiro João Paulo quando poderia tentar uma finalização por cobertura.

O Santos voltou ainda melhor do intervalo e foi premiado aos dois minutos, quando Guilherme fez o que quis com Marcos Rocha e cruzou na cabeça de Otero, que apareceu sozinho na pequena área e mandou para as redes.

Ficou claro, pelo gol, que o caminho para a vitória santista era explorar as vulnerabilidades dos laterais palmeirenses. Marcos Rocha, veterano frágil defensivamente, e Piquerez, em péssima fase, foram dois dos piores em campo.

Abel Ferreira, que não raro tira os jogadores de suas posições originais e improvisa conforme o adversário, continua usando Mayke improvisado de ponta e fez Raphael Veiga virar volante. Endrick, longe do gol, tinha que buscar a bola e até chegou a armar as jogadas, tamanha a passividade do meio-campo palmeirense.

Esse cenário foi favorável ao Santos, que superou suas limitações técnicas e, empurrado pela torcida, encurralou o poderoso rival, mostrando que, embora um esteja na elite do futebol brasileiro e o outro na segunda divisão, a disparidade entre as equipes em campo não é grande.

Inquieto à beira do gramado, o técnico português tirou Endrick, substituição que já estava programada devido às dores na coxa que incomodam o jovem atacante desde o duelo contra a Espanha, em Madri. Entrou em seu lugar Lázaro. Rony e Richard Ríos também foram a campo e deixaram o time mais veloz e perigoso.

Mas João Paulo salvou o Santos nas finalizações de Rony e Lázaro e na bobeada de Felipe Jonathan, que quase marcou contra. O goleiro foi personagem central no triunfo do Santos, que está perto de conquistar seu primeiro título em oito anos. Com informações Agência Estado

Entre para nosso grupo do WhatsApp

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

Matérias relacionadas

Continua após a publicidade

EDIÇÃO DIGITAL

Edição 221

RÁDIO ES BRASIL

Continua após publicidade

Vida Capixaba

- Continua após a publicidade -

Política e ECONOMIA