24.4 C
Vitória
terça-feira, 29 setembro, 2020

Reflexões na quarentena

Mais Artigos

Desmatamentos & queimadas ilegais: não faltam leis, mas consciência e atitudes!

Isto tudo ocorria sob o olhar omisso do poder estatal, óbvio, diante dos interesses que circundavam as florestas naturais e, ainda, se mantém até os dias atuais

Cuidado com a imagem da sua empresa!

Uma organização, pequena ou grande, está baseada primordialmente naquilo que é o seu objetivo

Economia brasileira: vítima dos personalismos de governo

É lamentável ter que testemunhar episódios como o da criação do TRF-6 Por Arilda Teixeira Aqueles que acreditam que a combinação de república democrática com economia...

O boom no turismo regional no mundo pós-pandemia do coronavírus

Estratégias para diferenciação e melhor aproveitamento da imensa demanda por hotéis e pousadas

A recomendação “se puder, fique em casa” não bastou e o lockdown (bloqueio total das atividades não essenciais) foi a medida adotada por meio de decretos em diversas cidades no mês de maio

Seguimos neste tempo de isolamento social (ou na tentativa de), experimentando dias “híbridos” com emoções flutuantes: o cenário político-econômico-social do Brasil e as manifestações antirracistas que explodiram nos EUA (desde a divulgação do vídeo que mostra George Floyd sendo sufocado em uma abordagem policial) ecoam nas redes sociais.

O tema, aliás, ampliou a reflexão coletiva sobre o racismo, tão presente em nosso país e que exclui e mata pessoas todos os dias, apesar de muitos disseminarem que vivemos em uma “democracia racial”. O soco no estômago (mais um de uma série que inclui a morte de João Pedro Mattos, de 14 anos, morto em casa em uma ação da polícia) foi a morte do menino Miguel Otávio Santana da Silva, de cinco anos, que caiu do nono andar de um edifício de luxo em Recife). No meio da pandemia (com recomendação de isolamento social) o recorte de uma triste realidade: uma senhora cercada de serviçais (a doméstica e a manicure), a morte de uma criança, a dor de uma mãe e o pagamento de uma fiança de R$ 20 mil (que possibilitou que ela responda pelo crime de homicídio culposo em liberdade). Dias difícies… não há como não se chocar.

Outra triste realidade está relacionada à pandemia no Brasil: o número de mortos pelo coronavírus segue batendo sucessivos recordes. A recomendação “se puder, fique em casa” não bastou e o lockdown (bloqueio total das atividades não essenciais) foi a medida adotada por meio de decretos em diversas cidades no mês de maio. Não cabe apontar as razões para a falta de adesão da população ao isolamento social, porém ouso afirmar que o negacionismo de muitos (baseado na “rejeição de conceitos científicos em favor de ideias tanto radicais quanto controversas”) contribuiu significativamente para o resultado. Assim, os “negacionistas” (que eu defino como céticos, inquietos e intensos) seguem disseminando suas ideias (inclusive negando o racismo no Brasil), enquanto o vírus se dissemina por meio deles. Criticam o isolamento, a política e a imprensa.

Para esses indivíduos (que não cumprem as recomendações dos órgãos oficiais e ainda desencoraja as pessoas a cumprirem) tudo não passa de histeria coletiva acalorada pelo discurso midiático. Insistem no “antigo normal” (como circular pelos espaços públicos) afirmando que uma coisa tão pequena e invisível não é capaz de causar tanto mal. Um parênteses: acreditar ou não na letalidade do coronavírus não vai privar ninguém de ser infectado, de não apresentar sintomas e de transmitir o vírus a outras pessoas (fale isso para um negacionista e espere uma resposta bizarra, assim como são os argumentos e as teorias que eles defendem, pelo direito de “ir e vir” e em nome da economia). Aliás, não consigo enxergar a saúde dissociada da economia, mas esse tema renderia um outro artigo.

Seguimos em rotinas “tipo encapsuladas” com nossa “muleta tecnológica” (quem consegue ficar sem o celular nos dias de hoje?), conectando-nos aos afetos e às lembraças de um tempo pré-pandêmico. Olhamos para o passado por meio da hastag “tbt” (que deixou de ter dia certo para aparecer nos feeds) e de fotografias guardadas no rolo de câmera sem tirar os olhos do futuro, como se quiséssemos descobrir o que está por vir. Sigo apostando na luz e em dias melhores. Um esforço continuo de quem insiste em ver a vida de forma positiva, apesar das inúmeras camadas de privilégios e de bizarrices que vemos neste mundão de Deus. Uma luta pelo fim de qualquer preconceito, especialmente o racial, onde sou “pouco preta” para narrar preconceitos vividos e “muito preta” para saber da minha ancestralidade e da necessidade de nunca aceitar o discurso de que “preconceito não existe”. A luta é histórica e não podemos perder a oportunidade de aprender (ainda mais) e agir para que “dias melhores” realmente aconteçam. Vamos juntos. E cuidem-se!

Danielly Medeiros é jornalista, especialista em Economia para Jornalistas e Comunicadores Institucionais pela Universidade Federal do Espírito Santo (UFES).

ES Brasil Digital

Continua após publicidade

Fique por dentro

Economia: pedidos de seguro-desemprego caem 11,6% na 1ª quinzena de setembro

O custo de cada parcela adicional é estimado em R$ 8,35 bilhões, segundo cálculos da equipe econômica obtidos pelo Broadcast

‘Vamos fazer programa de substituição tributária’, diz Guedes

Ricardo Barros (PP-PR), afirmou ainda que não haverá aumento de carga tributária na proposta de reforma que o governo construirá

Conab avalia que Brasil terá segunda maior safra de café em 2020

O 3º Levantamento da Safra 2020 de Café, divulgado hoje (22), em Brasília, pela Companhia Nacional do Abastecimento (Conab), foi estimado em 61,6 milhões...

Valor Bruto da Produção Agropecuária deve ser recorde de R$ 823 bi, diz CNA

Outros fatores que podem influenciar o indicador do setor são o aumento de 4,3% na produção, a alta de 18,7% nos preços

Vida Capixaba

Retorno de cirurgias eletivas impulsiona crescimento das plásticas

O aumento da procura por cirurgias atinge todas as faixas etárias e principalmente os jovens.

Doenças tireoidianas no idoso e a associação entre Covid-19 e a tireoide fazem parte de evento científico

De 30 a 31 de outubro ocorrerá o 19º Encontro Brasileiro de Tireoide (EBT), pela primeira vez online, em razão da pandemia da covid-19....

Cirurgia inédita no Estado para tratar tumores de pulmão

O procedimento é inovador! Chamado de lobectomia uniportal por vídeo, o procedimento será realizado no dia 26 de setembro. 

Farol Santa Luzia e Igreja do Rosário são reabertos com novas regras de visitação

A reabertura dos pontos turísticos capixabas acontece aos poucos e na última quarta feira (23) mais dois, localizados em Vila Velha, reabriram para visitação depois de ficarem fechados por meses, em consequência da pandemia do novo Coronavírus.