O Desenvolvimento dos herdeiros

O desafio da longevidade de uma empresa familiar é complexo por várias razões, que vão da manutenção da coesão da família até a definição de um processo de sucessão que compatibilize os interesses dos entes com as necessidades do negócio.

Nessa jornada, um dos pontos cruciais para o sucesso de um negócio familiar no longo prazo é o desenvolvimento de herdeiros preparados e contributivos. À medida em que a família cresce, não haverá lugar para todos na empresa. E nem todo familiar desejará seguir carreira na organização. Portanto, herdeiros precisam ser preparados não somente com o olhar no desenvolvimento de futuros líderes para o negócio familiar, mas também para ser bem-sucedidos na carreira que escolherem. Por mais que um herdeiro não queira aderir aos negócios da família ou que não reúna as competências necessárias para estar na empresa, uma condição da qual ele não pode fugir é a de futuro acionista. Um dia, ele se tornará sócio e, como tal, terá responsabilidades para as quais necessita ser preparado. E sua primeira responsabilidade, como futuro sócio, é não depender da empresa. É mortal
para uma empresa ter familiares que dependam dos frutos do negócio, sem contribuírem para o seu sucesso. Se o herdeiro trabalha na empresa, é justo que seja remunerado por seus esforços e pelos resultados produzidos. Se não atua no negócio familiar, ainda assim deve ser preparado para ser um bom acionista, capaz de tomar as melhores decisões que levem ao sucesso empresarial e, por conseguinte, ao crescimento do patrimônio familiar e à maior remuneração do seu
capital empregado. O desenvolvimento de um herdeiro acontece a no longo prazo, passando pela infância até a fase adulta, cada etapa com estímulos e ações condizentes à faixa etária, e vai muito além da transmissão dos conhecimentos e experiência das gerações anteriores, fundamentais na história de sucesso da empresa. É necessário transmitir a identidade da família empresária, constituída pelos princípios e valores do fundador. Esses são os alicerces sobre os quais os herdeiros construirão sua marca pessoal e seu estilo na tomada de decisões e solução de problemas, mas sem se distanciarem da base moral construída por seus antecessores.

CRESCIMENTO DA FAMÍLIA
Um desafio para o negócio.
No longo prazo, uma família pode crescer a uma taxa de 6% ao ano. Difícil imaginar um negócio que avance a essa taxa indefinidamente. Portanto, é crucial preparar os herdeiros para o desafio de dar continuidade ao aumento da riqueza familiar, seja como executivos da empresa, seja como acionistas.

ESCOLHA DO HERDEIRO
Ser um executivo ou um bom acionista?
Herdeiros devem escolher entre trabalhar na empresa ou seguir outra carreira. Expor a nova geração aos negócios desde cedo é uma prática salutar para que seus membros possam decidir, com embasamento, sobre o caminho a seguir, mas conscientes de que, qualquer que seja a escolha, não poderão se eximir de suas responsabilidades como futuros acionistas.

CONSELHO DE FAMÍLIA
Desenvolvendo familiares.
O Conselho de Família é um aliado importante no desafio do desenvolvimento de herdeiros. Cabe a esse órgão definir as competências de que a empresa necessita e estabelecer um programa, com princípios, diretrizes, objetivos e ações, voltado a preparar os familiares para contribuírem com o negócio, seja como futuros executivos, seja como bons acionistas.


Adriano Salvi Conselheiro de administração certificado pelo IBGC, professor convidado da Fundação Dom Cabral e sócio da Vix Partners Consultoria e Participações.

Danielle Quintanilha Merhi Psicanalista, especialista em empresas familiares, professora convidada da Fundação Dom Cabral e sócia da Vix Partners Consultoria e Participações.

Conteúdo Publicitário