22.1 C
Vitória
quarta-feira, 22 maio, 2024

Nova Indústria Brasil é debatida em Vitória

Representantes da CNI e Findes abordaram a NIB como ferramenta de desenvolvimento socioeconômico do Estado

Por Gustavo Costa

Um conjunto de propostas direcionadas ao setor industrial, como linhas de crédito e recursos não reembolsáveis, e tem volume previsto de R$ 300 bilhões até o fim de 2026. Essa é a Nova Indústria Brasil (NIB), lançada no final de janeiro, que abre um leque de oportunidades para a neoindustrialização nacional.

- Continua após a publicidade -

Idealizada pelo governo, a NIB usa instrumentos de políticas públicas, como subsídios, aumentos de investimentos federais e incentivos tributários para estimular alguns setores da economia no país.

Os detalhes do NIB e seus desdobramentos para o país, e mais especificamente para o Espírito Santo foram analisados em reunião do Conselho Estratégico da Federação das Indústrias do Espírito Santo (Findes), que aconteceu na última quinta-feira (14), a sede da entidade, em Vitória.

O diretor de Desenvolvimento Industrial e Economia da CNI e presidente do Conselho de Administração do BNDES, Rafael Lucchesi, marcou presença e defendeu a necessidade de industrialização do Brasil.  “O mundo desenvolvido se fez pela indústria. Não industrializar o Brasil é um grande erro”, frisou.

Segundo ele, o Brasil era o país que mais crescia no mundo há cerca de 4 décadas, tudo por conta de uma indústria pujante. Mas em algum ponto, esse desenvolvimento se perdeu. “A urbanização foi industrial. O país que conhecemos foi feito pela indústria e o nosso empobrecimento foi quando abandonamos ela”, destacou ele, citando que agora o país tem uma nova chance.

Benefícios para o Espírito Santo 

As missões da Nova Indústria Brasil podem contribuir com o desenvolvimento socioeconômico também do Espírito Santo, analisou a presidente da Findes, Cris Samorini. “A NIB traz para o Espírito Santo uma nova possiblidade de crescimento sustentável. Estamos trazendo-a para dentro da Findes e acompanhando todos os ajustes e detalhamentos. Também vamos, por meio de informações técnicas do Observatório da Indústria, antecipar os desafios e as oportunidades que essa política traz para o desenvolvimento industrial do Estado”, De acordo com ela, a Findes será uma aliada do governo do Estado para trazer essa indústria de alta tecnologia.

As missões da Nova Indústria Brasil (NIB)

O NIB conta com seis missões são as áreas estratégicas para desenvolver o Brasil. A premissa é unir encomendas públicas e tecnológicas, capacidade de mobilização do Estado e potencial do setor empresarial, resultando em uma política benéfica para o país como um todo. Confira cada uma das missões que começaram neste ano e seguem até 2033:

1. Cadeias agroindustriais sustentáveis e digitais

2. Forte complexo econômico e industrial da saúde

3. Infraestrutura, saneamento, moradia e mobilidade sustentáveis

4. Transformação digital da indústria

5. Bioeconomia, descarbonização, e transição e segurança energéticas

6. Tecnologias de interesse para a soberania e a defesa nacionais

 

 

Entre para nosso grupo do WhatsApp

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

Matérias relacionadas

Continua após a publicidade

EDIÇÃO DIGITAL

Edição 221

RÁDIO ES BRASIL

Continua após publicidade

Vida Capixaba

- Continua após a publicidade -

Política e ECONOMIA