22.1 C
Vitória
domingo, 23 janeiro, 2022

Montanhas põem turismo nas alturas

esbrasil_pedra_azul
Pedra Azul na Região Serrana do Estado. Foto: Acervo/Next Editorial

Paisagem de beleza exuberante, clima ameno e uma infinidade de opções de lazer, de esportes radicais e boa aquecem o turismo capixaba 

Por Luciene Araújo e Marcelo Rosa 

Do topo da Pedra Azul, em Domingos Martins, fica mais fácil entender porquê a região de montanhas do Espírito Santo contribui, e muito, para o resgate do potencial turístico do Estado, nesta pós turbulência gerada pela pandemia do coronavírus.

Paisagem de beleza exuberante, clima ameno e uma infinidade de opções de lazer tanto para os mais radicais quanto para quem não abre mão da boa gastronomia nas viagens de lazer. Essas são as qualidades que tornam o recanto cada vez mais procurado por turistas do Brasil inteiro e também do exterior.

A procura tem sido tanta, que nos feriados nacionais — Independência do Brasil, Nossa Senhora Aparecida, Finados e Proclamação da República — quase todos os hotéis e pousadas da região registraram 100% de ocupação, em 2021. 

“Nossa média de ocupação já é superior a 2019, antes da pandemia. E não apenas aqui no hotel, mas em toda região das Montanhas. E por que isso? Porque as famílias estão procurando locais mais abertos, como montanhas e a zona rural. Locais que ofereçam momentos de calma e também opções de lazer diversas, como trilhas, esportes de aventura, recreadores para crianças, boas piscinas”, aponta Valdeir Nunes dos Santos, proprietário do Parque do China, um dos estabelecimentos mais bem iluminados do Estado para as festas de fim de ano.

Fonte: Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNADC) Nota: As comparações trimestrais entre as estimativas não necessariamente sustentam mudanças de tendência, tendo em vista a precisão das estimativas influenciada pelo caráter amostral da PNADC Elaboração: Coordenação de Estudos Econômicos – CEE/IJSN

Ainda assim, setor manteve estabilidade

Nem oito, nem 80. Entre uma dificuldade e outra, no segundo ano de pandemia do Coronavírus, o turismo no Espírito Santo conseguiu registrar um comportamento estável, em 2021.

A conclusão é da Secretaria de Estado de Turismo (Setur), com base no Observatório de Turismo Capixaba que reúne informações divulgadas, de três em três meses, por meio do Boletim da Economia do Turismo. No Estado, 7,4% do total dos postos de trabalho são relacionados à Atividades Características do Turismo (ACT).

São 138 mil pessoas ocupadas, sendo que os setores de alimentação (84.521) e transporte (36.826) reúnem o maior número de trabalhadores, apontam os dados referentes ao segundo trimestre.

Perfil do turista 

Outra preocupação das autoridades do setor foi traçar, por intermédio de pesquisa, o perfil do turista que visitou o Espírito Santo no verão e no inverno, em 2021. Na tradicional estação mais fria do ano, o levantamento foi realizado em dez municípios.

Entre os turistas entrevistados, 45,8% procuraram destinos mais isolados; 25,7%, locais próximos; 15,3%, foram para onde a taxa de contaminação estava reduzida e 7,6% partiram para locais onde foram adotados os protocolos de segurança e higiene.

A maioria (83,9%), optou por transporte individual para viajar e escolheu locais afastados para se hospedar (47,4%); hospedagens individuais foram a alternativa de 34,3% dos entrevistados; empresas que comprovassem protocolos de segurança foram a opção de 10,9% das pessoas abordadas, enquanto que 5,8% delas disseram que buscaram hospedagem com menor capacidade de pessoas.

A maioria dos turistas que visitou o Espírito Santo no inverno 2021 é de capixabas (53,8%), seguidos por mineiros (20esbrasil,6%), cariocas (10,8%), paulistas (6,1%), baianos (1,5%) e gaúchos (0,7%).

Os homens respondem por 55,5% das visitas; o estado civil dos respondentes é, na maior parte, casado (59,3%), na faixa etária entre 31 e 40 anos (30,3%).

A principal motivação da viagem foi lazer (75,4%); seguida da oportunidade de visitar parentes e amigos no estado (17,3%).

A maioria (30,7%) viajou com familiares adultos e, 17,2%, foram grupos familiares, casal com filhos, optando em fazer a viagem em carro próprio (55,8%), sendo que 55,4% já conheciam o destino que visitaram. Sobre a hospedagem, 37,1% ficaram hospedados em casa de amigos e parentes; 19,2% em hotéis, 17,9% em pousadas e, 11,2%, optaram por alugar casas.

Fonte: Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNADC) – IBGE. Elaboração: Coordenação de Estudos Econômicos – CEE/IJSN.

Ações promocionais

O potencial turístico do Espírito Santo foi divulgado em eventos nacionais. Em outubro, na Abav, Fortaleza (CE), maior evento do setor dirigido aos agentes de viagens e operadoras. No mês seguinte, no Festuris, feira Internacional, focada na América Latina, realizada em Gramado (RS).

E, por meio do Famtour, se trouxe agentes de viagens de São Paulo, Rio Grande do Sul e Rio de Janeiro, resultado de uma parceria entre Sebrae, Sindhoteis, ABIH e Instituto Visite o ES. No roteiro, os municípios de Vila Velha, Vitória, Manguinhos (Serra), Ibiraçu (Grande Buda), Guarapari, Anchieta, Domingos Martins e Venda Nova do Imigrante.

Houve ainda ações em feiras estaduais: Sabores da Terra, Femipi e RuralTurES. Além disso, lançamento no mercado nacional da reestruturação de Itaúnas, com melhorias em estrada, linhas de ônibus e qualificação trade. E o Santuário Nacional de São José de Anchieta foi reaberto em novembro, totalmente restaurado pelo Instituto Modus Vivendi.

Capacitação

A Setur desenvolve o Programa Estadual de Gestão do Turismo, com cursos e oficinas para empresários e gestores. Entre os temas abordados estão “Instrumentos legais para fomentar o turismo”, uma abordagem prática da Lei nº 13.019/2014”, “Oportunidades e Desafios para Gestão Regional do Turismo” e capacitação e workshops em Marketing Digital para Destinos Turísticos.

Infraestrutrura

Por meio do “Caminhos do Turismo”, um projeto da Setur em parceria com o Departamento de Estradas e Rodagem (DER), houve a qualificação de acessos a pontos turísticos. Incluindo pistas de voo livre, que tem recebido etapas de campeonatos nacionais e internacionais; parques estaduais; locais de turismo de aventura; e para observação de belezas naturais e espécies raras, como a Saíra Apunhalada — ave que traz ao ES observadores de diversos locais.

Amantes de esportes radicais encontram nas montanhas capixabas um lugar para se aventurar – Foto: Divulgação Setur-ES – Voo Livre Uba

Avaliação do turista

A avaliação dos entrevistados sobre o destino Espírito Santo foi positiva, mantendo o índice de 4,0 (Bom) registrado em 2019, período em que foi realizada a mesma pesquisa. Entre os itens avaliados, destaque para gastronomia, segurança, limpeza, hospitalidade e sinalização turística.

Um dos grandes pontos de destaque foi a avaliação sobre a infraestrutura para atividades turísticas, acessibilidade, condições das vias de acesso, atendimento ao visitante, sinalizações internas, limpeza e higiene, chegando a uma média de 4,5, sendo que quatro é considerado bom e, cinco, ótimo.

O gasto estimado nos passeios no verão foi de R$ 403,36 e, no inverno, equivalente a R$ 701,27. A Casa do Turismo Capixaba será instalada no antigo Clube Saldanha da Gama. Nela estará a sede da Setur, além de restaurante, cervejaria, loja de artesanato e museu. Ah, o salão poderá ser utilizado para apresentações culturais.

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Continua após publicidade

Fique por dentro

Vida Capixaba

Continua após publicidade