Mercado livre de energia fecha 2019 com um movimento de R$ 134 bi

Foto: Internet

O mercado livre propiciou uma economia de 34% no preço da energia elétrica para os consumidores que já são livres.

O mercado livre de energia fechou o ano de 2019 com um volume de operações 6% superior ao de 2018 e atingiu o movimento de 134 bilhões de reais. Em 2018 foram 127 bilhões. Os dados são da Associação Brasileira dos Comercializadores de Energia (Abraceel). O mercado livre já representa 30% de toda a energia elétrica consumida no Brasil e entregou aos seus consumidores, em média, uma economia de 34% sobre as suas contas de energia elétrica em 2019.

Para a Abraceel os resultados de geração de energia, comercialização e economia poderiam ser muito maiores com a abertura total do mercado de energia no país. “Somos um dos últimos países do mundo a abrir totalmente o mercado de energia”, comenta o seu presidente Reginaldo Medeiros.

O presidente da Abraceel lembra que o mercado livre de energia poderia entregar uma economia de 12 bilhões por ano na conta de luz de 80 milhões de consumidores brasileiros. “Mesmo que a abertura atingisse hoje somente a parcela do setor produtivo que ainda está fora desse mercado, já teríamos uma redução de R$ 7 bilhões nessas contas corporativas e poderíamos gerar no Brasil algo em torno de 420 mil postos de trabalho”, diz ele. Nos últimos 10 anos foram economizados mais de R$ 200 bilhões de reais nas contas de energia dos consumidores que já são livres no Brasil.

O mercado livre de energia no Brasil tem hoje 324 comercializadores registrados na CCEE-Câmara de Comercialização de Energia Elétrica e fecha 2019 com 6.870 consumidores. As empresas associadas da Abraceel detêm 83% desse mercado.

O mercado livre é responsável por 34% de toda a expansão do parque gerador em construção, com investimentos da ordem de R$ 34 bilhões, principalmente em energia renovável. Atualmente, 42% da geração de energia renovável é destinada ao mercado livre.

Quem pode atuar no mercado livre de energia?

Não é qualquer consumidor que pode negociar no Mercado Livre de Energia. Apenas empresas que consomem acima de 500 KW, o que significa uma estrutura industrial, de comércio ou serviço com um determinado porte. Os consumidores residenciais no Brasil estão fora do Mercado Livre de Energia.

Como participar do mercado livre de energia?

Todos os consumidores que se enquadram no consumo de energia superir aos 500 KW podem migrar para o Mercado Livre. O primeiro passo é procurar um atendimento especializado. Na Tradener existe uma área de serviços que presta uma completa consultoria para os seus novos clientes do Mercado Livre. Um dos primeiros passos para a migração do mercado cativo para o livre é a conversão do medidor de energia.

Leia Também
Conteúdo Publicitário