Mais uma parte da Leitão da Silva liberada

Na fase final estão sendo investidos, aproximadamente, R$ 43 milhões (Fotografia - Waldson Menezes)

A expectativa do Governo do Estado é de que a obra completa seja entregue em novembro

Dentro das obras de modernização e ampliação da Avenida Leitão da Silva, em Vitória, teve mais um trecho liberado. Agora nas ruas Dona Maria Rosa e Das Palmeiras. O governador do Estado, Renato Casagrande, visitou o local na manhã da última terça-feira (19) acompanhado do diretor-geral do Departamento de Estradas de Rodagem (DER-ES), Luiz Cesar Maretto Coura e de engenheiros do órgão. A expectativa do Poder Executivo é de que a obra completa seja entregue em novembro deste ano.

“Em fevereiro estivemos aqui e informamos que abriríamos em março esse trecho para a circulação de veículos e, em novembro, entregaremos a obra completa. Essa obra começou em 2014 e, se não fosse a paralisação dos últimos anos, poderia estar pronta. Assumimos o governo em janeiro e demos velocidade às obras. Dobramos os equipamentos e aumentamos os trabalhadores”, afirmou Casagrande.

O governador aproveitou a liberação da via para visitar o canteiro de obras. É a segunda vez que o governador visita o local desde o início da gestão. Casagrande falou ainda sobre a importância da liberação da pista para desafogar o trânsito na Avenida Nossa Senhora da Penha, a Reta da Penha.

“Hoje liberamos esse trecho ainda de forma provisória, mas queremos devolver o fluxo aos veículos. Vamos dar ao comerciante e ao morador aquela animação que ficou perdida nos últimos anos. Quem vem pela ponte da Passagem agora pode pegar a Leitão da Silva até a Beira Mar. Aos poucos vamos liberando outros trechos e vamos terminando cada um deles. Neste ponto ainda colocaremos a última camada de asfalto, a sinalização e enquanto isso vamos fazendo a ciclovia e o meio fio. O importante é os trechos estarem prontos e seguros para que possamos liberar e dar fluidez ao trânsito”, complementou.

Com a abertura do tráfego aos veículos, o motorista não terá mais que seguir pela Reta da Penha para ter acesso ao bairro Itararé ou continuar pela Leitão da Silva. Como explicou o governador, quem vem pela Ponte da Passagem poderá prosseguir pela Rua Dona Maria Rosa, acessar a Avenida Leitão da Silva e depois virar na Rua das Palmeiras ou continuar pela avenida em direção à Beira Mar, diminuindo o volume de trânsito na Reta da Penha e aliviando o tráfego no horário de pico.

O diretor do DER destacou que as obras serão entregues na medida em que os trechos forem concluídos. “Nosso objetivo é ir liberando os trechos gradativamente. Não vamos esperar até o final do ano para abrir toda a avenida ao trânsito. No final de abril estamos com a previsão de liberar da Rua das Palmeiras até a Frederico Lagassa. Nessas partes liberadas as obras continuam com a ciclovia e calçadas. O que estamos permitindo é a passagem de veículos”, afirmou Maretto.

As outras frentes de trabalho atuam entre a Rua das Palmeiras e Avenida Robert Kennedy, onde já foram assentadas todas as galerias, toda a laje de sustentação do piso e o trabalho atual é de drenagem para posterior pavimentação asfáltica. Esse será o próximo trecho a ser liberado ao tráfego, com previsão para início de maio.

Visita da equipe de governo com Renato Casagrande em fevereiro (Fotografia – Hélio Filho)

No trecho seguinte, entre a Avenida Robert Kennedy e Rua Frederico Lagassa, prossegue o trabalho de assentamento das galerias, drenagem e implantação das redes de água e esgoto. Uma terceira frente de serviço trabalha entre Cezar Hilal e Beira Mar, executando serviço de calçadas, preparação da ciclovia e em seguida a pavimentação.

A obra na Avenida Leitão da Silva se estende da Rua Dona Maria Rosa à Avenida Beira-Mar, totalizando 2,8 quilômetros. Só na fase final, estão sendo investidos, aproximadamente, R$ 43 milhões. Além da implantação de mais uma pista em cada sentido (Beira-Mar e Cezar Hilal), a nova Leitão da Silva terá ciclovia, calçada-cidadã e novo sistema de macrodrenagem, para combater as histórias inundações em Vitória.

*Da redação com informações do Governo do Estado


LEIA MAIS

Movimentos pendulares e a (i)mobilidade urbana

Conteúdo Publicitário