Ipem-ES retira brinquedos irregulares das ruas

Foto: Divulgação / Ipem-ES

A Operação “Dia das Crianças” consiste em retirar brinquedos irregulares das ruas até o dia 11 de outubro em todo o Estado

Com o intuito de fiscalizar os produtos que são comercializados nas ruas, o Instituto de Pesos e Medidas do Espírito Santo (Ipem-ES), órgão delegado do Inmetro no Estado, retirou mil brinquedos irregulares foram retirados do mercado na segunda-feira (1º).

A operação segue até o dia 11 de outubro, véspera do Dia das Crianças. O objetivo da operação é verificar a procedência dos brinquedos, e se os produtos atendem às normas de comercialização.

Os brinquedos recolhidos são encaminhados para destruição em local apropriado. E se a mercadoria for apreendida, proprietários, fabricantes e fornecedores dos materiais irregulares podem ser multados.

O diretor-técnico do Ipem-ES, Lindomar Gomes, afirma que “é fundamental que os brinquedos tenham o selo do Inmetro, o que garante que aquele produto foi testado e está de acordo com as normas exigidas pelo órgão, minimizando possíveis riscos durante a utilização”.

Durante a operação também são verificadas a identificação do fabricante, do importador e as advertências sobre o uso dos brinquedos, que devem estar descritas de forma legível, em local de fácil visualização e em língua portuguesa.

Já o diretor-geral do Ipem-ES, Rogerinho Pinheiro, faz um alerta aos pais durante a compra dos brinquedos. “É necessário que os pais verifiquem se os produtos estão adequados à faixa etária da criança, e esta informação pode ser encontrada junto ao selo do Inmetro. Isso ajuda a garantir a segurança das crianças, evitando que peças pequenas sejam ingeridas, por exemplo”, comenta.

Veja outras dicas do IPEM-ES para a aquisição e utilização dos brinquedos:

1) Deve ser observada a presença do Selo de Avaliação da Conformidade (selo do Inmetro). O selo do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro) é a principal evidência de que o brinquedo passou pelo processo de certificação e está em conformidade com os requisitos técnicos de segurança e desempenho estabelecidos na legislação;

2) Informações quanto à faixa etária. A Certificação do Inmetro estabelece a faixa etária para utilização do brinquedo, sem riscos à segurança de uma criança. Isso evita, por exemplo, um engasgo por ingestão de pequenas peças ou partes de um brinquedo;

3) Os pais devem ficar atentos e dar especial atenção aos casos de crianças, de diferentes faixas etárias, que brincam juntas. O brinquedo destinado a uma criança mais velha pode apresentar características que, para crianças mais novas, representam riscos à segurança;

4) Informações relativas a advertências, precauções de uso e composição do produto são obrigatórias e devem estar em português, mesmo para brinquedos importados;

5) Presença de dados do fabricante e/ou importador (marca, razão social, CNPJ, entre outros). Nunca compre um brinquedo sem esses detalhes;

6) Durante a brincadeira, a criança deve ser sempre supervisionada por um adulto. Por mais seguro que seja o brinquedo, ele não dispensa a supervisão de um adulto no momento de sua utilização pelas crianças;

7) Procure comprar brinquedos em pontos de venda legalmente estabelecidos. Não compre em mercado paralelo e exija sempre a nota fiscal de compra do produto. Essa simples atitude vai favorecer sua reclamação, no caso do produto adquirido ser impróprio para consumo.

Denúncias

O cidadão que suspeitar de irregularidades ou tiver dúvidas pode entrar em contato com a Ouvidoria do Ipem-ES, pelo telefone 0800 039 1112 ou e-mail: [email protected].

Acidentes de consumo causados por brinquedos podem ser relatados por meio do site do Inmetro, no endereço eletrônico http://www.inmetro.gov.br/consumidor/formulario_acidente.asp

Conteúdo Publicitário