Para cada idade uma estratégia de planejamento financeiro

A cada idade uma forma diferente de lidar com o planejamento financeiro (Fotografia - iStock)

Especialista ensina a investir em cada faixa etária e organizar as finanças ao longo da vida

Seja qual for a idade, sempre há uma forma adequada para poupar e garantir um futuro tranquilo. Por isso, o especialista Junior Grilli garante que, para cada faixa etária, existe a melhor estratégia de planejamento financeiro.

“No início da vida profissional, que geralmente ocorre entre os 15 e 20 anos, os salários são mais baixos e a possibilidade de investimento é menor, por isso minha dica é focar na educação, cursos profissionalizantes e especialização em uma segunda língua, preferencialmente na língua inglesa que é considerada universal”, ensina Grilli.

Entre os 20 e 30 anos, as pessoas tendem a focar no desenvolvimento profissional e com isso já é possível conquistar um cargo melhor e dar um upgrade no salário. “Ganhando mais, a tendência é gastar mais, portanto o foco nesta fase é importante. Manter as despesas fixas baixas e investir mais em renda variável é um caminho promissor”, afirma o especialista.

A chegada dos 30 até os 40 é um período marcado por decisões em termos financeiros, de carreira e da vida pessoal. “Quem está solteiro precisa evitar o consumo exagerado e desnecessário, principalmente em relação à vida social intensa que pode minguar o salário todo. E os casados tem o desafio de se adaptar a um orçamento mais alto. Portanto meu conselho é o de diversificar as aplicações entre renda variável e renda fixa”, alerta Grilli.

Outro destaque dado pelo especialista é optar em aplicar o dinheiro ao invés de financiar a casa própria. “Quando você financia um apartamento de 600 mil reais, por exemplo, ao final você terá pago quase três apartamentos, ao passo que se você tiver uma educação financeira e souber investir o mesmo valor da parcela mensalmente e cuidar do seu dinheiro como fazem os suíços, americanos e europeus, você terá um rendimento suficiente para morar em um imóvel melhor e ainda ter a reserva no banco”, aconselha Junior.

(Fotografia – Divulgação)

A fase dos 40 aos 50 anos é marcada pela experiência e maturidade, porém em geral também pelo aumento da responsabilidade com os filhos e família. “Neste período a tendência é um aumento de gastos com planos de saúde e com a educação dos filhos, portanto o ideal é cuidar da reserva de emergência, além dos investimentos em renda fixa e variável. Nessa fase a curva de distribuição dos investimentos começa a se inverter para dar mais segurança na aposentadoria”, diz Grilli.

A chegada dos 60 e os anos seguintes são marcados pela sabedoria, o propósito de vida muda e o menos é mais. “Se você manteve uma reserva de emergência desde a juventude e aprendeu a investir adequadamente seu dinheiro, certamente vai entender que a vida começa na melhor idade, pois é a fase de usufruir todo o planejamento financeiro feito ao longo da vida. A sugestão é usar parte do recurso para viagens e passeios, mas manter o dinheiro trabalhando por você. Nessa etapa, geralmente a preferência é para os fundos de renda fixa para manter a segurança”, finaliza Junior.


LEIA TAMBÉM

Conteúdo Publicitário