26.6 C
Vitória
quarta-feira, 1 dezembro, 2021

Espírito Santo puxa exportações de rochas ornamentais no país

As exportações brasileiras cresceram 17% no primeiro semestre, o melhor resultado nos últimos cinco anos, com o estado capixaba liderando a movimentação

Por Samantha Dias 

O Espírito Santo puxou o crescimento das exportações de rochas ornamentais no país no primeiro semestre de 2021. As exportações brasileiras  cresceram 17% no período, o melhor resultado nos últimos cinco anos, com o estado capixaba liderando a movimentação.

A região Sudeste responde por 93% das exportações nacionais, e o Espírito Santo é o líder em exportação (com participação de 82%), seguido de Minas Gerais (11%). No primeiro semestre de 2021, o setor de exportação de rochas ornamentais registrou faturamento de US$ 572 milhões no país – o melhor resultado nos últimos cinco anos.

Se consideramos apenas os três últimos anos, do período pré-pandemia aos dias atuais, o segmento registrou alta. Em 2019, o Brasil fechou o primeiro semestre com faturamento de US$ 489 milhões. Em 2020, no auge pandemia e indefinição dos mercados, o faturamento caiu para US$ 397 milhões. No entanto, de janeiro a junho deste ano, o setor registrou alta de quase 17% no faturamento com as exportações.

Nos últimos dois anos, considerando o faturamento com as exportações no primeiro semestre, o Espírito Santo, maior produtor e exportador e que conta com atuação mais consolidada no mercado mundial, viu seu faturamento subir 17% (foram US$ 399 milhões em 2019, contra US$ 471 em 2021). Já Minas Gerais contabilizou alta de 15% (U$S 54 milhões em 2019 e US$ 63 milhões em 2021).

Os principais destinos das rochas ornamentais brasileiras são os mercados dos Estados Unidos, China e Itália. Entre esses países, o mercado americano consome prioritariamente rochas manufaturas (chapas), enquanto no mercado chinês e italiano as rochas brutas (blocos) são as preferidas.

De acordo com as projeções apontadas no convênio setorial It’s Natural – Brazilian Natural Stone, firmado entre o Centro Brasileiro dos Exportadores de Rochas Ornamentais (Centrorochas) e a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), o setor de rochas brasileiro espera crescer 4,2% em 2021 em relação ao ano passado.

Com informações da Brasil 61

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Continua após publicidade

Fique por dentro

Vida Capixaba

Continua após publicidade