22.9 C
Vitória
quinta-feira, 13 junho, 2024

Dia do Riso: Artistas desvendam a arte do humor

Comediante Haeckel Ferreira e palhaços da trupe Lacarta compartilham o lado humano por trás das risadas como ferramenta de conexão e alívio

Por Mariah Friedrich

O Dia do Riso, celebrado em 18 de janeiro, marca a importância de aliviar a tensão do cotidiano por meio do humor. Seja no palco ou no picadeiro, o desafio de arrancar gargalhadas da plateia une as experiências do comediante de stand-up Haeckel Ferreira e os palhaços Amora Gasparini e Carlitos Cachoeira, que revelaram as nuances de seu trabalho.

- Continua após a publicidade -

“Chico Anysio compartilhou um dia que todo comediante tem uma tem um muralzinho de tristeza. isso porque a missão do humorista é pegar um fato ruim e tentar fazer piada com aquilo para tornar mais leve”, reflete o comediante de stand-up Haeckel Ferreira.

No universo mágico e colorido dos palhaços, Amora Gasparini e Carlitos Cachoeira, da trupe Lacarta, mergulharam na linguagem da palhaçaria para provocar risadas na plateia a partir de performances que fazem com que vejam a si mesmas nas ações representadas. 

“O maior desafio é trabalhar a dimensão do ridículo. É preciso muita prática para desenvolver o improviso, que é muito difícil”, comentou Amora. Ela também destacou a importância de conhecer a linguagem da palhaçaria feminina, que trouxe uma nova perspectiva à sua arte, permitindo desafiar estereótipos de gênero.

“A Palhaçaria também era proibida para mulheres, não era aceita, dizia a se que a mulher não conseguia fazer rir e condenava-se a intimidade que a mulher tinha com o público”, explica Amora.

Carlitos Cachoeira observou como envolver o público nas apresentações passou a ser um desafio maior, principalmente em espaços públicos, em um mundo onde a tecnologia e o imediatismo competem pela atenção. O segredo, segundo ele, reside na técnica apurada e na sinceridade nas performances, onde o público pode identificar-se com os traços de humanidade presente nas ações.

“A plateia percebe aliviada que ser tolo ou ingênuo não é defeito, mas uma característica. Pertinente dizer que humor é derivado de humanidade, então o humor vem de húmus,  que é o que fertiliza a terra, assim, fertilizamos o terreno de nosso ser com muito humor e com isso nos dá força para seguir a luta da vida, destaca Carlitos.

A importância da identificação foi ressaltada pelo comediante Haeckel Ferreira. Para o artista, a comédia eficaz é aquela que fala a língua das pessoas, abordando situações do dia a dia de maneira simples e autêntica. “Todo mundo passa por várias situações engraçadas e nem se dá conta na correria do dia-a-dia e eu faço piada sobre isso”, relata o humorista.

Relembrando sua jornada, Haeckel percebe como a comédia representa uma fuga criativa, que torna possível transformar experiências negativas em momentos leves por meio do humor. 

Entre para nosso grupo do WhatsApp

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

Matérias relacionadas

FIQUE POR DENTRO

Continua após publicidade

Vida Capixaba

- Continua após a publicidade -