28.8 C
Vitória
sexta-feira, 24 maio, 2024

Ceni completa um ano de São Paulo e faz balanço: ‘Time com expectativa de título’

Sob o comando de Ceni, o São Paulo chegou a duas finais e uma semifinal. No Paulistão, foi à decisão com o Palmeiras, reeditando o confronto de 2021

Rogério Ceni completa nesta quinta-feira um ano desde seu retorno ao comando técnico do São Paulo. O ex-goleiro e ídolo tricolor tem currículo invejável na história do clube do Morumbi Como treinador, porém, os títulos ainda não chegaram e têm causado turbulência e elevado as expectativas sobre uma possível saída ou permanência para a temporada 2023.

Questionado pela reportagem do Estadão após a derrota para o Botafogo, por 1 a 0, pelo Campeonato Brasileiro, Rogério Ceni analisou sua trajetória nos últimos 365 dias no comando do São Paulo. O treinador fez um balanço, enumerando fatores que, para ele, fizeram o clube tricolor ter importantes melhorias dentro e fora de campo, principalmente no estímulo ao torcedor para comparecer ao Morumbi e empurrar a equipe para finais de campeonatos.

- Continua após a publicidade -

“Eu acho que o São Paulo se tornou um time bem competitivo ao longo do tempo que nós estamos aqui. Escapou do rebaixamento no ano passado, que era uma situação bem delicada. Nesse ano, criou-se uma expectativa por três vezes de chegar a finais e ser campeão. Acho que colocou esse sabor. Por isso, penso que a frustração de hoje vem muito pelo que nós fizemos até no final de semana passado, quando perdemos para o Independiente del Valle (a final da Copa Sul-Americana)”, afirmou o treinador em referência ao desânimo dos torcedores após o vice no torneio continental.

Sucesso bateu á porta

Sob o comando de Ceni, o São Paulo chegou a duas finais e uma semifinal. No Paulistão, foi à decisão com o Palmeiras, reeditando o confronto de 2021. O apito final, no entanto, deixou um gosto amargo que perdura na boca do são-paulino. Após construir o placar de 3 a 1 na partida de ida, no Morumbi, a equipe tricolor foi atropelada na volta, no Allianz Parque, ao ser goleada por 4 a 0 e ter de se contentar com o vice.

Na Copa Sul-Americana, foi feita uma campanha quase perfeita. Na fase de grupos, Ceni levou a campo os reservas. Mesmo assim, terminou na primeira colocação do Grupo D, com cinco vitórias e um empate, eliminando Everton (Chile), Ayacucho (Peru) e Jorge Wilstermann (Bolívia).

Nas oitavas de final, massacrou a Universidad Católica. Nas quartas de final e na semifinal precisou dos pênaltis para superar Ceará e Atlético Goianiense, respectivamente. A decisão, no último dia 1º de outubro, assombra a mente dos tricolores, com mais um vice, dessa vez para o Independiente del Valle, na cidade argentina de Córdoba, após revés por 2 a 0.

Na Copa do Brasil, o São Paulo foi até a semifinal. Eliminou Campinense, Manaus, Juventude, Palmeiras – de maneira polêmica por erro do VAR – e América-MG. Nas semifinais, caiu diante do Flamengo, com derrotas no Morumbi e no Maracanã.

“De positivo, o São Paulo passou a ser um time com expectativa de título. Isso é uma coisa importante: viver a sensação de ser campeão. Uma pena não conseguir entregar esse título (Sul-Americana), que tornaria o ano muito bom para o São Paulo. A gente está lutando, tentando sempre fortalecer a equipe, ser ter uma equipe coesa. Algumas características de jogadores seja o que mais falta para nós. Mas o clube está tentando investir em profissionais dentro do CT, equipamentos e colocar as contas em dia”, analisou Ceni.

Futuro

“Agora, falta bastante para o são Paulo. (As mudanças) Não vão acontecer comigo aqui ou sem mim. Posso garantir a você, não será uma coisa (mudança de nível) que vai acontecer (do dia para a noite). A não ser que apareça alguém com dinheiro para fazer. Se for caminhar só pelo padrão normal, com contrato, televisão, patrocinadores, cotas de campeonatos e jogos, isso vai demorar bastante tempo para voltar a ser um time que possa criar uma expectativa maior ainda de grandes conquistas”, concluiu Rogério Ceni.

O ex-goleiro vive momento conturbado no comando técnico do São Paulo. Ele não afirma de maneira clara quais as suas pretensões. Ceni desconversa sobre um desejo de saída do clube. Repetidamente, o ídolo afirma que a decisão de tirá-lo do comando técnico também pode partir da diretoria, por mais que o comando do clube externe o desejo de continuidade. Um importante aporte financeiro para contratações poderá tornar a situação mais confortável.

Números

Em um ano, Rogério Ceni comandou o São Paulo em 81 partidas, somando 36 vitórias, 22 empates e 23 derrotas, com 114 gols marcados e 86 gols sofridos. O aproveitamento é de 53,5%. A seca de títulos, para Ceni, é vista como um desgosto que pode encurtar sua nova passagem pelo Morumbi. O técnico tem contrato até dezembro de 2023, mas os resultados nos próximos compromissos podem antecipar uma decisão.

O São Paulo agora se prepara para enfrentar o rival Palmeiras no próximo domingo, às 16h, em clássico pela 32ª rodada do Campeonato Brasileiro. A partida será disputada no Allianz Parque.

Com informações Agência Estado

Entre para nosso grupo do WhatsApp

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

Matérias relacionadas

Continua após a publicidade

EDIÇÃO DIGITAL

Edição 221

RÁDIO ES BRASIL

Continua após publicidade

Vida Capixaba

- Continua após a publicidade -

Política e ECONOMIA