Bolsonaro defende proposta de ‘abstinência sexual’

Bolsonaro_Damares
O presidente Jair Bolsonaro empossando a ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves, durante cerimônia de nomeação dos ministros de Estado, no Palácio do Planalto. - Foto: Valter Campanato/Agência Brasil

Presidente disse que críticos ‘esculhambam’ ministra Damares Alves pela proposta e que não quer ver sua filha grávida aos nove anos

O presidente Jair Bolsonaro defendeu, nessa quarta-feira (5), a campanha de abstinência sexual, alavancada pela ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves, como forma de evitar a gravidez precoce. O chefe do Executivo elogiou a ministra.

“Quando ela fala em abstinência sexual, esculhambam ela. Quem quer? Eu tenho uma filha de nove anos, você acha que eu quero minha filha grávida no ano que vem? Não tem cabimento isso aí. É essa a campanha que ela faz”, apontou Bolsonaro na saída do Palácio da Alvorada.

Bolsonaro ainda criticou a forma como outros presidentes trataram a questão e disse que a liberdade defendida pelo PT é uma “depravação total”. “Essa liberdade que pregaram ao longo (do governo) do PT todo, que vale tudo, se glamoriza certos comportamentos que um chefe de família não concorda, chega a esse ponto, uma depravação total. Não se respeita nem sala de aula mais”.

Questionado sobre a redução de recursos para programas de combate à violência contra a mulher, Bolsonaro ressaltou que ‘mudanças de posicionamento e comportamento são tão importantes quanto dinheiro’.

“A Damares está sendo 10 nesta questão. Não é dinheiro, recurso apenas. É a postura, mudança de comportamentos. Ela está fazendo um trabalho bonito na Ilha de Marajó. Lá, você tem o pai que é pai e avô ao mesmo tempo, ou seja, ele engravida a própria filha, engravida a neta”, concluiu.

CAMPANHA DE PREVENÇÃO 

A campanha nacional de prevenção à gravidez na adolescência, lançada na segunda-feira pelo governo federal, não recomenda explicitamente a abstinência sexual, método defendido por Damares Alves. A mensagem da campanha é mais sutil: “Tudo tem seu tempo: adolescência primeiro, gravidez depois”.

*Com informações do Correio Brasiliense.