68,5% das pessoas usam aplicativo de transporte quando vão beber

Foto: Reprodução

Pesquisa realizada pelo Observatório Nacional de Segurança Viária comprova maior conscientização da população na hora de voltar para casa

Beber e dirigir é proibido há mais de 10 anos no Brasil. Hoje, os serviços de transporte por aplicativo se tornam a alternativa preferida dos motoristas. De acordo com uma pesquisa realizada pelo Observatório Nacional de Segurança Viária (ONSV) 68,5% dos brasileiros utilizam um serviço de transporte pelo celular depois de beber.

E segundo o levantamento, a maior conscientização vem por parte dos jovens entre 18 e 24 anos. Cerca de 75% dos entrevistados afirmaram seguir esse comportamento após saírem de festas, bares ou qualquer tipo de confraternização.

“Percebemos que os capixabas e as pessoas de uma maneira geral não abrem mão da praticidade. Se unir praticidade à segurança, como é o caso da proposta de serviço do V1, a tendência de uso é ainda mais acelerada. As pessoas já perceberam todas as vantagens de deixar o carro próprio na garagem, e a segurança é a principal delas”, disse o gerente de operações do V1 App, Leonardo Ballestrassi.

Números no ES

Pesquisa realizada no ano passado mostrou que o cenário no Espírito Santo não é diferente. O levantamento revelou que 59,3% das pessoas utilizam esse tipo de serviço para irem a bares e restaurantes. Desse total, 70% possuem carro ou moto e 71,7% pedem um carro por aplicativo mais de uma vez por semana.

Tais dados comprovam que há uma aceitação elevada e preferência dos consumidores capixabas pelos aplicativos de transporte, ainda que muitas vezes eles possuam um veículo próprio para irem ao destino.

Menos acidentes 

As estatísticas do Observatório Nacional de Segurança Viária comprovam ainda que a população em geral está bem preocupada com a segurança no trânsito. Na pesquisa foi constatado que a cada 10 brasileiros, oito concordam que os serviços de transporte de aplicativos deixaram as ruas mais seguras e ajudaram até na diminuição de mortes no dia a dia.

Mas, além da segurança, outros fatores contribuem pela opção de não utilizarem o carro próprio no momento de voltar para casa. O medo de assaltos e roubo de carros foi citado por 50% dos entrevistados, seguido pela dificuldade de achar lugar para estacionar (30%), a relação entre custo e benefício (16%) e problemas com o transporte coletivo (9%).

Conteúdo Publicitário